Tranduza (Translate)

sexta-feira, 16 de junho de 2017

A Dieta de Desintoxicação de 10 Dias



Dieta Desintoxicante
 12 de junho de 2017.
 
Por Dr. Mercola

O vício por comida é um grande desafio, e pode impedi-lo de implementar estratégias que você sabe que iriam beneficiar sua saúde.
Neste artigo, falo com o Dr. Mark Hyman sobre seu livro, The 10-Day Detox Diet (A Dieta Detox de 10 Dias), um best-seller do New York Times, que se concentra na desintoxicação do açúcar e na eliminação dos vícios por comidas.

De um Desastre Tóxico para uma Saúde Ideal - A Viagem Pessoal de um Médico

Embora ele estivesse muito interessado em saúde, nutrição e exercício durante muitos anos, ele entrou na faculdade de medicina, onde ele "recebeu uma lavagem cerebral" pelo sistema médico convencional. Depois de trabalhar como médico de família por muitos anos em uma pequena cidade em Idaho, o Dr. Hyman passou a trabalhar em uma sala de emergência por alguns anos.
Durante esse período, sua saúde começou a deteriorar-se por conta do estresse e do excesso de trabalho. Isto foi seguido por um período de um ano na China, onde ele sofreu uma intoxicação por mercúrio devido à poluição do ar, causada pela queima de carvão.
“Eu fui de andar 100 milhas (160 km) por dia na minha bicicleta a não conseguir subir as escadas, a ter minha digestão completamente prejudicada, e ter uma desregulação imune," ele diz.
“Tive erupções e feridas na minha língua. Minha contagem de células brancas caiu, meus anticorpos autoimunes aumentaram, meu teste de função hepática [e] enzimas musculares aumentou. No entanto, ninguém conseguia diagnosticar meu problema."
Recusando a recomendação de seu médico de apenas tomar Prozac, ele começou a fazer sua própria pesquisa, tentando entender por que seu corpo estava falhando. Foi então que ele descobriu o trabalho de Jeffrey Bland, conhecido como o pai da medicina funcional. A medicina funcional é realmente um paradigma. Ela trata a raiz da doença. É remédio para a causa, não para o sintoma.
“Eu o ouvi falar e eu pensei: 'Esse cara, ou ele é um gênio ou ele é louco. É melhor eu descobrir qual dos dois, por que se ele estiver certo, todo o paradigma da medicina está errado, '" diz o Dr. Hyman.
"Eu precisava repensar isso por mim e por meus pacientes. Comecei a experimentá-lo em mim, a experimentar com meus pacientes no Canyon Ranch e comecei a ver que funcionava. Fiquei chocado de ver que as pessoas melhoravam de coisas que eu não conseguia tratar com cuidados convencionais.
Agora eu sou super saudável. Tenho 54 anos, e me sinto melhor hoje do que quando tinha 25 anos. Eu corro, ando na minha bicicleta e escrevo. Eu escrevi oito best-sellers do New York Times. Eu tenho sido bastante prolífico. Eu mal podia pensar ou funcionar antes; agora eu sinto que eu recebi minha vida de volta."
O Dr. Hyman trabalhou no Canyon Ranch Resort por quase uma década e criou seu programa de medicina funcional. Há quase 10 anos, deixou Canyon Ranch e fundou sua própria clínica, o UltraWellness Center em Lenox, Massachusetts.

Tratando o Vício por Comida por Meio da Medicina Funcional

A resistência à insulina e a leptina conduz e promove o armazenamento de gordura em seu corpo ao aumentar a fome e desacelerar o seu metabolismo. O Dr. Hyman escreveu um livro chamado The Blood Sugar Solution (A Solução Para o  Açúcar no Sangue), que aborda isso.

Desde então, ele se tornou cada vez mais consciente dos vícios por comida, causados pela natureza viciante do açúcar, carboidratos refinados, sal e gorduras trans. Essas substâncias atuam exatamente como a heroína ou cocaína, dando prazer ao desencadear um processo inato em seu cérebro através de sinais de dopamina e opioides. A caseína e glúten (um dos principais componentes do trigo) também possuem propriedades viciantes.

Seu cérebro, essencialmente, se torna viciado em estimular a liberação de seus próprios opioides. A indústria de alimentos explorou esse efeito, sequestrando deliberadamente suas papilas gustativas, sua química cerebral e seu metabolismo. Como o Dr. Hyman observou, a indústria de alimentos criou uma nação inteira de pessoas viciadas em alimentos transgênicos processados.

Os americanos consomem cerca de 69 kg de açúcar por pessoa por ano. O americano comum também consome mais 66 kg de farinha refinada por ano e a farinha tem um índice glicêmico mais alto do que o açúcar de mesa.

A adição de açúcares (frutose processada em particular) e farinha refinada são os dois principais fatores de vício por comida. O Dr. Hyman coloca o glutamato monossódico (MSG) em terceiro lugar. O MSG está escondido em muitos alimentos processados sob uma grande variedade de nomes. É um realçador de sabor, mas também é altamente viciante, e ajuda a aumentar a sua insulina.
“Isso é o que está causando tantos distúrbios metabólicos que torna muito difícil para as pessoas pararem de comer”, ele diz." Nós temos essa cultura na qual culpamos a pessoa gorda.
Nós dizemos: "Se você apenas fizesse mais exercícios e comesse menos, tudo seria melhor". Trata-se apenas de um balanço energético entre as "calorias que entram e calorias que saem". Essa é a mensagem do governo. Essa é a mensagem da indústria de alimentos. "É apenas uma questão de moderação.
Não há alimentos bons e maus. Eu percebi que isso fundamentalmente não era verdade”, ele diz." Eu percebi que precisávamos reformular a história, e precisamos colocar as pessoas em uma desintoxicação médica de açúcar para que elas possam se restabelecer...
[O alimento] é informação. Ele dá instruções que ativam/desativam os genes, que regulam os hormônios e que regulam a função do sistema imunológico. Se você colocar os alimentos de cura certos e retirar os alimentos que são prejudiciais - o seu corpo realmente irá se restabelecer muito rapidamente."

Medicina à Base de Alimentos para a Perda de Peso e Recuperação

Independentemente da doença que você está tentando superar, você tem de abordar os aspectos básicos da dieta. Muitos sintomas desaparecerão sem qualquer outra intervenção especial. A dieta de desintoxicação do Dr. Hyman gira em torno da substituição de alimentos processados por alimentos de verdade por 10 dias.
"Começamos a comer alimentos de verdade - peixe, frango, carnes de boa qualidade, nozes e sementes, frutas de boa qualidade e muitos vegetais. É principalmente uma dieta baseada em plantas”, ele diz." Quando você tira todo o lixo, seu corpo se recupera muito rapidamente. Você talvez sofra por somente um dia com a abstinência.
Todos os desejos param. Sua energia aumenta. Você se livra de toneladas de fluido - algumas pessoas perderam 11 kg [de peso de água] em 10 dias. Mas as pessoas também perdem gordura. Você pode mudar rapidamente do armazenamento de gordura para a queima de gordura.
Quando você tem uma dieta de índice glicêmico muito baixo, seu corpo muda muito rapidamente do armazenamento de gordura para a queima de gordura, mesmo consumindo a mesma quantidade de calorias. Não é uma dieta que restringe calorias. Não é uma dieta que restringe volume.
O que eu percebo é que as pessoas não conseguem controlar quanto elas comem, mas podem controlar o que comem. Se você mudar o que você come, o seu corpo muda automaticamente, você passa a regular seu apetite automaticamente, e automaticamente você muda quanto você come sem ter de pensar nisso."

O Jejum Intermitente - Uma das Melhores Maneiras de Eliminar o Desejo Por Açúcar

Levando a abordagem do Dr. Hyman um passo adiante, sugiro implementar um programa de jejum intermitente. Esta é realmente uma das formas mais eficazes que conheço para eliminar o desejo por açúcar e se livrar de peso indesejado, pois realmente acelera a capacidade do seu corpo de se restabelecer e começar a queimar gordura em vez de açúcar como combustível primário.

Quando seu corpo já não usa açúcar como combustível primário, o desejo por açúcar desaparece como por magia. Existem muitas variações diferentes do jejum intermitente. Se você é como 85 por cento da população e tem resistência à insulina, a minha recomendação pessoal é fazer jejum todos os dias simplesmente programando a sua ingestão de alimentos em uma janela mais estreita de aproximadamente oito horas todos os dias. Por exemplo, você pode restringir o seu consumo às horas das 11h às 19h.

Essencialmente, você está apenas pulando o café da manhã e fazendo do almoço sua primeira refeição do dia. Isso equivale a um jejum diário de 16 horas - o dobro do mínimo necessário para esgotar suas reservas de glicogênio e começar a mudar para o modo de queima de gordura.

Eu acho esse método mais fácil do que jejuar por 24 horas ou mais, duas vezes por semana. Uma vez que você estiver com seu peso corporal ideal e não tiver diabetes, pressão arterial elevada ou níveis anormais de colesterol, você pode ser menos rígido com seu jejum. No entanto, provavelmente é melhor retomar algum tipo de regime de alimentação programado de vez em quando, para garantir que você não volte aos seus hábitos antigos.

O Exercício de Alta Intensidade Aumenta Seu Metabolismo

Como eu, o Dr. Hyman incorpora o treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) em seu programa de condicionamento físico, que repetidamente tem demonstrado ser uma das maneiras mais eficazes e eficientes de se exercitar - especialmente se você quiser perder peso. Estudos mostram que, com o HIIT, você pode gastar menos tempo se exercitando e obter mais benefícios, perder mais peso e queimar mais calorias enquanto dorme e alcança um nível maior de condicionamento físico.
"Eu amo jogar. Eu realmente odeio me exercitar”, ele diz." Você não vai me encontrar com frequência na academia. Mas eu adoro jogar, então não preciso. No verão, eu ando na minha bicicleta pelas colinas e na floresta. Eu jogo tênis. Eu jogo basquete com meu filho. Eu vou correr na floresta com meu cachorro.
Eu faço muitos exercícios variados. Eu faço muita ioga. Eu acho isso realmente útil por muitas, muitas razões diferentes.Eu faço um treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT), onde faço explosões de alta intensidade de 7 ou 10 minutos de treinamento intervalado com muitas coisas de tipo calistênico, muitas flexões e flexões de braço em uma barra fixa.
Isso é realmente eficaz em acelerar de verdade meu metabolismo. Tenho 54 anos, e sou mais magro, tenho melhor condicionamento físico e sou mais musculoso do que há 10 anos, o que é fascinante de se ver, e isso tudo ocorreu porque eu mudei um pouco a minha dieta e a minha rotina. Não é mesmo muito. Estou super ocupado. Se eu posso fazê-lo, qualquer um pode fazê-lo."

Seja Inteligente Sobre Onde Você Come

Uma coisa é mudar sua dieta quando você está comendo em casa. Outra é manter os mesmos padrões quando você é convidado para jantar ou para ir a um evento. O Dr. Hyman oferece as seguintes sugestões para manter o controle e não ser "forçado" a viver uma situação na qual você não tenha outras opções além de comer alimentos processados:
  • CleanPlates.com pode ajudá-lo a encontrar restaurantes sustentáveis, orgânicos e não-OGM (não-transgênicos). Eles também oferecem um aplicativo para smartphone
  • O Zagat é outro guia de restaurantes saudáveis que você pode usar
  • Se você está indo para um evento, coma antes de ir, e/ou traga alguns lanches saudáveis. O Dr. Hyman geralmente guarda manteigas de nozes e outros itens saudáveis em sua jaqueta
  • Ao viajar, certifique-se de trazer alguns alimentos de "emergência". O Dr. Hyman tem uma postagem no seu blog intitulada “Don´t Ever Be in a Food Emergency Again” (Nunca mais Entre em Uma Emergência Alimentar), que oferece sugestões sobre o que colocar no seu pacote de alimentos de emergência

Mais Informações

O livro do Dr. Hyman The 10-Day Detox Diet (A Dieta Detox de 10 dias) está disponível na Amazon, e em 10DayDetoxDiet.com. Você também pode encontrar mais informações sobre o Dr. Hyman, seu centro de bem-estar e seus livros, no site DrHyman.com. "Não se trata de privação, trata-se de comida divertida, fácil e deliciosa, que faz você basicamente recuperar seu corpo da indústria alimentícia," ele diz.

No fim das contas, trata-se de fazer escolhas - para você e para sua vida. Você está satisfeito com a forma como está se sentindo agora, ou está pronto para se sentir melhor? Você quer ser vibrantemente saudável e se sentir conectado às coisas que realmente importam na vida? "Eu acho que é realmente o que as pessoas têm que descobrir", diz ele.
"Qual é o seu propósito? O que importa para você? Será que é importante comer esse biscoito e se sentir bem por dois minutos? Ou será que o importante é ter energia para poder trabalhar e cumprir seu propósito na vida? O que realmente é importante?"

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/06/12/dieta-de-de-desintoxicacao-vicio-em-comida.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=6122017_dieta-de-de-desintoxicacao-vicio-em-comida

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O Extraordinário Óleo de Orégano

orégano 
 
O orégano, a erva perfumada comumente usada para temperar massas e pratos de carne, é renomado por sua versatilidade na cozinha. Mas você sabia que ele também pode ser transformado em um óleo de ervas com uma ampla gama de benefícios? Continue a ler para saber mais sobre o óleo de orégano.

O Que é o Óleo de Orégano?

O óleo de orégano é derivado das folhas e flores do orégano  (Origanum vulgare), uma erva perene resistente, espessa e membro da família da hortelã (Lamiaceae). É nativa da Europa, embora cresça em muitas áreas ao redor do mundo.
A planta cresce até 90 centímetros (35 polegadas) de altura, com folhas verde-escuras que tem de 2 a 3 centímetros (0,7 a 1,18 polegadas) de comprimento.
Os gregos e os romanos antigos valorizavam profundamente o orégano, usando-o para vários empregos medicinais. De fato, seu nome vem das palavras gregas "oros" e "ganos", que são palavras para montanha e alegria - orégano literalmente significa "alegria da montanha".
Era reverenciado como um símbolo da felicidade, e era uma tradição antiga coroar noivas e noivos com um laurel do orégano. Existem mais de 40 espécies de orégano, mas o mais terapeuticamente benéfico é o óleo produzido a partir de orégano selvagem ou Origanum vulgare que é nativo das regiões mediterrâneas.
Tenha cuidado, porém, pois muitos dos óleos de orégano vendidos em mercearias não são feitos a partir desta variedade, e podem ter pouco ou nenhum valor terapêutico. Opte apenas pelo óleo de orégano feito de Origanum vulgare e Thymus capitatus, uma variedade que cresce na Espanha.
Para obter o óleo de orégano, as flores e folhas secas da planta de orégano selvagem são colhidas quando o teor de óleo da planta está no seu ponto mais alto, sendo então destilado. O óleo resultante tem uma coloração que vai do dourado ao amarelo-escuro, com um forte odor picante.

Usos do Óleo de Orégano

Eu recomendo altamente adicionar o óleo do orégano a seu arsenal de ferramentas de cura naturais, já que ele possui uma grande variedade de usos. Este óleo de ervas é um antimicrobiano poderoso que pode ajudar a combater infecções. O óleo de orégano também tem propriedades antibacterianas, antivirais e antifúngicas. Outros usos ideais para o óleo de orégano são:
  • Tratamento de fungos nos pés ou nas unhas. Coloque algumas colheres de chá de óleo de orégano em uma bacia de água e mergulhe seus pés nele. Você também pode diluir o óleo (misture uma gota com uma colher de chá de azeite ou óleo de coco) e, em seguida, aplique-o em suas unhas ou pele.
  • Ajuda a matar parasitas e aliviar infecções. Dilua o óleo (misture uma gota com uma gota de um óleo base, como o óleo de coco), e coloque-o sob a sua língua. Mantenha-o ali por alguns minutos e depois faça um bochecho. Repita isso pelo menos quatro vezes por dia.
  • Alivia infecções sinusais e resfriados. Coloque algumas gotas de óleo de orégano em uma panela com água fumegante e, em seguida, inale o vapor.
Eu também o encorajo a usar os poderes antissépticos deste óleo de ervas para limpar a sua casa. Aqui vai uma maneira de fazer isso: combine quatro gotas de óleo de orégano com 10 gotas de óleo de limão e um quarto de xícara de vinagre branco e, em seguida, adicione estes itens a um balde de água. Use esta mistura para limpar e enxugar superfícies.

Composição do Óleo de Orégano

O óleo de orégano é rico em fenóis, que são compostos fitoquímicos naturais com efeitos antioxidantes benéficos. Os dois fenóis mais abundantes são:
  • Timol — um fungicida natural com propriedades antissépticas. Ele ajuda a melhorar o seu sistema imunológico, funciona como um escudo contra toxinas, e até mesmo ajuda a prevenir danos nos tecidos e incentiva a cura.
  • Carvacrol — identificado como sendo eficaz contra várias infecções bacterianas, tais como Candida albicans, staphylococcus, E. coli, campylobacter, salmonela, klebsiella, mofo de aspergillus, giárdia, pseudomonas e listeria.
Outros compostos saudáveis no óleo de orégano incluem:
Nutrientes como as vitaminas A, C e E, cálcio, magnésio, zinco, ferro, potássio, manganês, cobre, boro e niacina também são encontrados no óleo de orégano.

Benefícios do Óleo de Orégano

O óleo de orégano possui amplos benefícios para a saúde, mas é mais associado à saúde do sistema respiratório e imunológico. É conhecido por ajudar a prevenir e tratar infecções, como:
  • Infecções do trato urinário (ITU) causada por bactérias como E. coli, Proteus e Pseudomonas aeruginosa.
  • Infecções respiratórias provocadas por variedades das bactérias Klebsiella pneumoniae e Staphylococcus aureus.
  • Infecções fúngicas, mesmo aquelas que são resistentes ao Diflucan, um medicamento antifúngico comumente usado.
  • Infecções parasitárias causadas pela ameba giardia - foi até mesmo indicado como sendo mais eficaz do que antibióticos como o Tinidazol.
  • Infecção por Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) — uma equipe de pesquisadores indianos e britânicos descobriu que o óleo de orégano tem fortes propriedades antibacterianas que podem ajudar a matar esta superbactéria mortal.
O óleo de orégano também se revelou promissor na prevenção de doenças transmitidas por alimentos causadas por patógenos como listeria, salmonela, E. coli, e Shigella dysenteriae. Adicioná-lo aos alimentos não só ajuda a matar as bactérias, mas também pode aliviar os sintomas de intoxicação alimentar.
Um estudo feito em animais por pesquisadores da Universidade do Arizona também revelou que o óleo de orégano pode ajudar a matar norovírus, que causa gastroenterite.
O óleo de orégano é também um precioso óleo essencial antisséptico na aromaterapia porque é dito que a sua proporção de fenóis é a mais alta de todas as plantas aromáticas. Além de usar o método de vapor para ajudar a aliviar a tosse e outras doenças respiratórias, você também pode usá-lo para:
  • Repelir insetos. O carvacrol no óleo de orégano funciona como um repelente de insetos natural. Tente colocar algumas gotas nos móveis que ficam do lado de fora, ou aplique uma mistura diluída na sua pele quando for sair ao ar livre.
  • Aliviar a dor das picadas de insetos e irritação, incluindo a irritação causada pela hera venenosa. Aplique o óleo de orégano diluído no azeite nas áreas afetadas.
  • Ajudar a curar feridas, caspa e outras doenças de pele. Alguns especialistas também defendem a utilização de uma versão diluída para tratar acne e rosácea.
  • Aliviar dor de garganta. Basta adicionar algumas gotas em um copo de água. Isso pode ajudar a aliviar dor de dente também.
  • Ajudar a aliviar dores musculares e articulares, artrite reumatóide (AR), entorses e cólicas

Como Fazer Óleo de Orégano

Extrair o óleo de orégano requer um processo de destilação especial. No entanto, existe uma maneira simples de fazer o seu próprio óleo de orégano em casa. Abaixo vai uma receita básica do HomegrownandHealthy.com:
Ingredientes:
  • Folhas de orégano, picadas ou trituradas
  • Azeite, óleo de amêndoa ou óleo de semente de uva
  • Frasco esterilizado com tampa
Procedimento:
  • Ferva um pouco de água em uma panela. Depois de ter alcançado uma fervura contínua, desligue o fogo.
  • Coloque o seu óleo escolhido e as folhas de orégano picado no frasco.
  • Coloque o frasco na água quente e deixe-o de molho por cerca de cinco a 10 minutos. Isso aquece o óleo e ajuda o orégano a liberar seus óleos naturais.
  • Retire o frasco do banho-maria e coloque ao lado de uma janela ensolarada por um tempo que pode ser de uma a duas semanas. Sacuda o frasco algumas vezes durante estes dias.
  • Uma vez que as duas semanas tenham passado, amasse as folhas e coloque o óleo em um frasco esterilizado. Armazene-o num local escuro e fresco.
Para preservar o óleo, adicione algumas gotas de óleo de semente de toranja.

Como Funciona o Óleo de Orégano?

Os compostos no óleo de orégano trabalham juntos para fornecer os efeitos antimicrobianos pelos quais este óleo é tão bem conhecido. O carvacrol é o seu componente mais importante, e é responsável por muitos de seus benefícios à saúde. O carvacrol tem poderosas propriedades antimicrobianas, e tem demonstrado ajudar a romper as membranas celulares externas que ajudam a proteger as bactérias do seu sistema imunológico.
O óleo de orégano pode ser aplicado topicamente ou ingerido, dependendo da doença para a qual você o está usando. No entanto, eu aconselho a não usar o óleo com força total, pois isso pode irritar a sua pele. Não o aplique na pele lesionada ou em feridas abertas.
O óleo de orégano destina-se apenas ao uso em curto prazo e, se for usado por via oral, deve ser tomado em pequenas doses de quatro a seis gotas apenas por sete a 10 dias.

O Óleo de Orégano é Seguro?

Sim ele é, contanto que seja diluído na água ou com um óleo base (algumas das minhas escolhas favoritas são os óleos de jojoba, azeitona, e de coco). A herbalista clínica Michelle Lynde diz que a proporção ideal ao diluir este óleo de ervas é uma parte de óleo do orégano para três partes do óleo base. Eu também recomendo fazer um teste de alergia para verificar se você tem alguma reação alérgica ao óleo de orégano. Basta aplicar uma gota diluída no seu braço e ver se alguma irritação ocorre.
Tenha cuidado ao comprar óleo de orégano, porque alguns fabricantes vendem óleos adulterados e óleos feitos de tomilho, orégano espanhol ou orégano cultivado, que não fornecem quaisquer benefícios à saúde.

Efeitos Colaterais do Óleo de Orégano

Algumas pessoas podem sentir desconforto no estômago ao ingerir óleo de orégano (ou mesmo a própria erva). Aqueles que são alérgicos a plantas da família Lamiaceae (hortelã, lavanda, sálvia e manjericão) também devem evitar este óleo, já que eles também podem levar a uma reação alérgica.
O óleo de orégano também NÃO é aconselhável para bebês e crianças. As mulheres grávidas ou lactantes também são desencorajadas de usar o óleo de orégano tanto topicamente quanto oralmente, pois ele pode estimular a circulação sanguínea dentro do útero, o que deteriora o revestimento uterino que engloba o feto. O óleo de orégano também tem o potencial de induzir a menstruação, e pode ser perigoso para o seu feto.  

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/04/17/oleo-de-oregano.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=4172017_oleo-de-oregano

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Como Lidar com os Sintomas Alérgicos e da Asma

Asma
Por Dr. Mercola

Como e Por Que Alergias se Desenvolvem?

Alergias são uma reação do organismo contra alergênicos (partículas que o organismo considera estranhas), sinal de que o sistema imunológico está trabalhando demais.  A primeira vez que o organismo enfrentar um alergênico, as células plasmáticas liberarão IgE (imunoglobulina E), um anticorpo específico para aquele alergênico. A IgE liga-se à superfície dos matócitos.
Os matócitos são encontrados em grande número nos tecidos de superfície (ou seja, aqueles próximos do meio ambiente externo, tais como a pele e as membranas mucosas do nariz), onde eles ajudam na intermediação das respostas inflamatórias.  Os matócitos liberam uma série de mediadores químicos importantes, sendo a histamina um deles.
Portanto, na segunda vez que o organismo enfrentar um alergênico em particular, dentro de poucos minutos, os matócitos ficarão ativos e liberarão um coquetel poderoso de histaminas, leucotrienos e prostaglandinas, os quais dispararão uma cascata de sintomas associadas a alergias: espirros, prurido no nariz, garganta inflamada, tosse curta e seca, irritação nos olhos, etc.
A histamina pode fazer com que as vias aéreas fiquem constringidas, como acontece na asma, ou fazer com que os vasos sanguíneos fiquem mais permeáveis, levando ao vazamento de fluido ou urticária. Os leucotrienos causam hipersecreção do muco, a qual você geralmente sente como prurido no nariz ou aumento de catarro.
O pólen é um ativador dos mastócitos extremamente comum, porém outros agentes podem igualmente disparar estes processos. Esporos de fungos, poeira, contaminantes do ar, ácaros domésticos, pelos de animais de estimação, baratas, produtos químicos ambientais, produtos de limpeza, produtos de higiene pessoal e alimentos, todos podem causar reações alérgicas.
Cada pessoa é diferente no que diz respeito à reação que desenvolverá contra determinados produtos. E, só porque você não teve reação a algum produto no passado, não significa que não vá ter reação a ele no futuro – você pode tornar-se sensível a qualquer produto a qualquer momento.

Alergias Podem Igualmente Ocorrer Devido à Síndrome do Intestino Permeável

Intestino permeável é uma condição ocorrida devido ao desenvolvimento de lacunas entre as células (enterócitos) que constituem a membrana que reveste a parede intestinal. Estas pequenas lacunas permitem que substâncias como alimentos não digeridos, bactérias e resíduos metabólicos, que deveriam estar confinados no trato digestivo, escapem para a corrente sanguínea – daí o nome síndrome do intestino permeável.
Uma vez que a integridade do revestimento intestinal está comprometida e ocorre um fluxo de substâncias tóxicas “vazando” para a corrente sanguínea, o organismo experimenta um aumento significante de inflamações.
Além da associação com doenças inflamatórias intestinais, como Crohn e colite ulcerativa, ou doença celíaca, o intestino permeável pode igualmente ser um fator contribuinte para alergias.
De acordo com um número crescente de especialistas, incluindo o Dr. Loren Cordain, professor da Universidade do Estado do Colorado e especialista em estilos de vida do Paleolítico, humanos NÃO foram projetados para consumir grãos e consumi-los pode, na verdade, danificar o intestino. O problema não é apenas a existência de outras fontes superiores de nutrientes; os grãos podem realmente conter antinutrientes que podem danificar o intestino.
Rachaduras na parede intestinal podem, então, permitir que proteínas não digeridas entrem na corrente sanguínea. Estas substâncias altamente complexas são antigênicas e alergênicas, o que significa que elas estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos contra elas. Isto é o que estabelece o cenário para a ocorrência de alergias e outros distúrbios autoimunes.
"Cicatrizar e selar" o intestino tem demonstrado ajudar a aliviar os sintomas alérgicos. A chave é a mudança na dieta, eliminado alimentos ofensivos, tais como grãos e alimentos processados, e introduzindo alimentos mais saudáveis que promovam equilíbrio adequado de bactérias no intestino. Para restaurar a saúde do intestino e evitar a ocorrência de intestino permeável, o consumo de alimentos tradicionalmente fermentados é essencial.

Tratamentos Alternativos para Alergias que Podem Funcionar

  • Consumir mel produzido localmente: De acordo com a ABC News, as opiniões foram basicamente negativas com relação a esta estratégia. Porém, eles reconhecem os resultados positivos coletados em um estudo realizado em 2011, o que concluiu que pacientes diagnosticados com alergia ao pólen da bétula conseguiram alívio bastante significativo quando consumiram mel do pólen da bétula, diariamente, de novembro a março.
  • Durante a estação do pólen da bétula, comparando com o grupo de controle, pacientes que consumiram mel experimentaram uma redução de 60 por cento nos sintomas; duas vezes o número de dias assintomáticos; redução de 70 por cento em dias com sintomas graves e 50 por cento de redução no uso de anti-histamínicos.
  • Lavar a cavidade nasal com um pote neti: Esta estratégia é amplamente recomendada, até mesmo pela Academia Americana de Alergias, Asma e Imunologia. A irrigação dos seios nasais ajudará a expulsar o pólen e outros agentes irritantes, ajudando na facilidade da respiração.
  • Acupuntura: Talvez surpreendente para muitas pessoas, a acupuntura tem mostrado oferecer alívio eficaz aos sintomas de alergias. Um estudo publicado no início deste ano concluiu que as pessoas que fizeram tratamento semanal com acupuntura tiveram significativamente menos problemas de respiração se comparadas àquelas que não fizeram acupuntura.
  • No entanto, o efeito só durava se elas mantivessem o tratamento. Ainda assim, esta poderia ser uma opção viável para os sofredores de alergias sazonais dispostos levarem a picadas de agulhas uma vez por semana durante o pior momento da contagem de pólen.
  • Comer “direito”: Alimentos geneticamente modificados (GM), dominantes na dieta Americana, têm mostrado serem causadores de alergias alimentares. Igualmente com relação a vários aditivos. Uma pesquisa realizada recentemente concluiu que consumir junk food aumenta o risco de desenvolvimento de asma e alergias em crianças, portanto, certamente, evitar tais alimentos pode, no mínimo, reduzir este risco.
  • Estima-se que 80 por cento do sistema imunológico esteja localizado no intestino, portanto o sustento da saúde digestiva é essencial para o sustento do sistema imunológico, que é o sistema primário de defesa contra TODAS as doenças. Alimentos processados, ingredientes GM e aditivos sintéticos, todos dizimam as bactérias benéfica do intestino, promovendo, dessa forma, um efeito negativo sobre o sistema imunológico.
    Idealmente, você deve evitar alimentos processados, focando em alimentos orgânicos, produzidos localmente (ambos para aprimorar seu sistema nutricional e evitar pesticidas), e incluindo alimentos fermentados na dieta para aprimorar a flora intestinal, ou usar suplementos probióticos de alta qualidade.

O ‘Tratamento’ MAIS Importante para Alergias ao Qual Você Precisa Prestar Atenção

Da mesma forma que acredito que você certamente deva cuidar de sua dieta e poderia tentar as estratégias alternativas supracitadas, se você sofre de asma, melhorar os níveis de vitamina D é absolutamente crucial. De fato, uma pesquisa sugere que a deficiência de vitamina D pode ser uma causa primária de asma.
Isto significa que muitos sofrem desnecessariamente com um distúrbio potencialmente ameaçador à vida, uma vez que a deficiência de vitamina D pode ser facilmente solucionada. Idealmente, você deve adquirir vitamina D através da exposição segura ao sol. Lembre-se de que o uso de protetor solar efetivamente bloqueia a produção de qualquer quantidade de vitamina D.
Outra alternativa é usar uma cama de bronzeamento segura, ou, se nenhuma destas alternativas estiver disponível, suplemento de vitamina D via oral. Se você optar pelo suplemento de vitamina D, você deve igualmente aumentar o nível de vitamina K2.

Indução da Neutralização do Tratamento para Alergia

Lidar com alergias envolve uma abordagem multifacetada que, por sua vez, envolve o aprimoramento da dieta, da saúde intestinal, dos níveis de vitamina D e prevenção contra acionadores potenciais. Tipicamente, pessoas que sofrem com alergias tendem a armar-se com uma série de pílulas anti-histamínicas, sprays para o nariz e colírios, antecipando-se à estação das alergias.
Porém, estes tratamentos com medicamentos trazem seus próprios conjuntos de efeitos colaterais, e o alívio acaba não durando o suficiente. E a minha experiência diz que testes convencionais de alergias, sejam realizados através do sangue ou da pele, funcionam apenas para 20 a 30 por cento dos pacientes.
Testes de neutralização da alergia por indução e tratamentos oferecem a vários sofredores de alergias alívio permanente sem efeitos colaterais adversos. A taxa de sucesso desta abordagem é de 80 a 90 por cento e você pode fazer o tratamento em casa.
A indução refere-se a “provocar uma alteração” e a neutralização refere-se a “neutralizar a reação causada pela indução”. Durante o processo indução-neutralização, uma pequena quantidade de alergênicos é injetada sob a pele para produzir um pequeno inchaço chamado “pápula” nas camadas superiores da pele e, então, a reação deste procedimento é monitorada.
Se você tiver reação positiva, como fadiga, dor de cabeça ou crescimento no tamanho da pápula, então o alergênico é neutralizado com injeções diluídas ou com gotas do mesmo alergênico que são colocadas na boca. Se você quiser realizar o teste de neutralização por indução, a Academia Americana de Medicina Ambiental (AAEM) possui uma lista de médicos e consultórios treinados nesta técnica altamente eficaz e recomendada.

Imunoterapia Sublingual para Asma e Alergias

"Dessensibilizar uma pessoa contra alergias geralmente envolve uma série de injeções de pequenas quantidades de alergênicos, porém uma ampla revisão de estudos realizados concluiu que colocar alergênicos sob a língua em solução com água pode funcionar tão bem quanto," reportou recentemente o New York Times .
Uma meta-análise de 63 ensaios controlados aleatoriamente, envolvendo mais de 5.130 pacientes com idades entre 4 e 74 anos, encontrou fortes evidências de que a imunoterapia sublingual melhorou os sintomas da asma causados pela grama, pelo pólen de árvores, ácaros domésticos, tasneira e outras substâncias.
O tratamento produziu mais de 40 por cento de melhora nos sintomas comparando com placebo e levou à redução significante do uso de medicamentos contra asma. Interessantemente, a técnica de Neutralização por Indução, descrita acima, igualmente usou tratamentos sublinguais contra alergias por várias décadas.
A revisão publicada no The Journal of the American Medical Association (Revista da Associação Médica Americana) também encontrou evidências moderadas com relação à redução do nariz escorrendo e inflamação dos olhos promovida pelo tratamento oral. Reações locais foram comuns, porém nenhum efeito colateral ameaçador à vida, como por exemplo, anafilaxia, foi reportado.
De acordo com o Dr. Daniel Moore, as gotas contra alergias usadas na imunoterapia sublingual (ITSL) são administradas diariamente ou, às vezes, semanalmente, por um período de anos.

Estratégias Adicionais Seguras e Eficazes para o Tratamento de Alergias e Asma

  • Aumento do consumo de gorduras ômega-3 de base animal – Não posso enfatizar suficientemente a importância da introdução de quantidades suficientes de gordura ômega-3 de base animal de alta qualidade na dieta. As gorduras DHA e EPA encontradas no óleo de krill são potentes anti-inflamatórios.
  • Redução do consumo de gordura ômega-6 – Além da adição de gorduras ômega-3 na dieta, você deve igualmente reduzir a quantidade de gorduras ômega-6 que consome porque a proporção entre estes dois tipos de gordura é muito importante. Se você consome alimentos processados diariamente, o equilíbrio entre as gorduras ômega-3 e ômega-6 ficará distorcido, podendo causar o tipo de inflamação que leva à asma.
  • Vegetais fermentados e/ou probióticos: Em um estudo realizado em 2008, pesquisadores descobriram que pessoas que consumiram probióticos durante a estação das alergias, apresentaram menores níveis de um anticorpo que disparava os sintomas de alergia. Elas igualmente apresentaram maiores níveis de um anticorpo diferente (IgG), o qual acredita-se que desempenha papel protetor contra reações alérgicas. Outros pesquisadores encontraram evidências de que o fornecimento de probióticos a recém nascidos e a futuras mães pode ajudar na prevenção de alergias em crianças.
  • Evite produtos lácteos pasteurizados, que notoriamente aumentam o catarro e pioram a asma.
  • Faça exercícios regularmente – Exercícios (especialmente ao ar livre se você for asmático) são, na verdade, cruciais, uma vez que ajudam a moderar os níveis de insulina.
Abaixo há uma lista de outros alimentos e ervas que você talvez queira experimentar:
  • Pimentas vermelhas: Pimenta malagueta, rábano e mostarda picante funcionam como descongestionantes naturais. De fato, um spray nasal que continha capsaicina (derivada de pimentas) significativamente reduziu os sintomas de alergia nasal em um estudo realizado em 2009.
  • Quercetina: A quercetina é um antioxidante pertencente ao grupo de substâncias vegetais solúveis em água chamadas flavonoides. Embora a pesquisa esteja incompleta, muitos acreditam que alimentos ricos em quercetina (como maçãs, bagas, uvas vermelhas, cebolas vermelhas, alcaparras e chá preto) evitam a liberação de histamina – portanto, são “anti-histamínicos naturais”.  A quercetina também está disponível na forma de suplemento – uma dose típica para rinite alérgica seria entre 200 a 400 mg por dia.
  • Petasites (Petasiteshybridus): Outro anti-histamínico natural, esta erva tem sido usada desde os tempos antigos para o tratamento de várias condições. No século XVII, a petasites era usada para o tratamento de tosse, asma e feridas dérmicas.
  • Pesquisadores têm, desde então, identificado os compostos da petasites que ajudam na redução dos sintomas da asma inibindo os leucotrienos e as histaminas, responsáveis pelo agravamento dos sintomas da asma. Em um estudo realizado na Alemanha, 40 por cento dos pacientes que consumiram extrato da raiz de petasites foram capazes de reduzir o consumo dos tradicionais medicamentos contra asma. Um estudo Inglês concluiu que a petasites é tão eficaz quanto o medicamento Zyrtec.
    No entanto, uma palavra de atenção é necessária. A petasites é um membro da família da tasneira, portanto, se você for alérgico (a) a tasneira, calêndula, margarida ou crisântemo, você não deve usar a petasites. Igualmente, a erva CRUA não deve ser usada, pois contém substâncias denominadas alcalóides de pirrolizidina que podem ser tóxicas para o fígado e para os rins e podem causar câncer. Produtos comerciais contendo petasites tiveram vários destes alcaloides retirados de sua composição.
  • Hidraste-do-Canadá (Hydrastiscanadensis): O hidraste-do-Canadá pode ser útil contra alergias sazonais. Estudos realizados em laboratório sugerem que a berberina, ingrediente ativo do hidraste-do-Canadá, possui propriedades antibacterianas e melhoradoras do sistema imunológico.
  • Óleo de eucalipto: Este óleo puro essencial pode ser cicatrizante de membranas mucosas. Você pode aplicar uma gota dele em uma bola de algodão e inalá-lo várias vezes ao dia, adicionar algumas gotas em água (ou em um nebulizador, se você tiver um) para tratamento a vapor, ou usar algumas gotas dele em seu banho. 
 
Fonte:
 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Por que a Dieta do Mediterrâneo é tão Saudável?

Dieta do Mediterrâneo 
23 Fevereiro 2017
Por Dr. Mercola

A Dieta do Mediterrâneo tem conseguido manter sua popularidade mesmo com o surgimento de dietas da moda, e por uma boa razão. Vários estudos confirmaram seus benefícios para a saúde – muitos dos quais provavelmente por esta dieta ser pobre em açúcares, moderada em proteína e rica em frutas e legumes frescos, além de gorduras saudáveis.
Ao contrário da crença popular, não há, na verdade, uma “dieta mediterrânea” única. Pelo menos 16 países fazem fronteira com o Mar Mediterrâneo e os hábitos alimentícios variam de um país para outro devido às diferenças de cultura, antecedentes étnicos, religião e produção agrícola.

Benefícios à Saúde  

  • Prevenção e/ou reversão da síndrome metabólica, um conjunto de fatores de risco para a saúde cardíaca  e para a diabetes.
  • Melhora na saúde cardiovascular e significante redução no risco de acidente vascular cerebral — efeitos associados ao consumo de altas quantidades de gorduras ômega-3 de origem animal (principalmente provenientes do peixe).
    Altos níveis de ácido eicosapentaenoico (EPA) e ácido docosahexaenoico (DHA), provenientes de frutos do mar ou suplementos, foram associados à redução de 16% no risco de desenvolvimento de doenças cardíacas em pessoas com alto nível de triglicerídeos e redução de 14% em pessoas com alto LDL (mau colesterol).
  • Redução do risco de desenvolvimento de acne em mulheres adultas. De acordo com pesquisas realizadas recentemente, mulheres adultas que consumiram frutas frescas, legumes e peixe por menos de quatro dias por semana tiveram risco dobrado de desenvolver acne depois de adultas.
  • Redução no risco de desenvolvimento de artrite reumatoide, doenças de Parkinson, Alzheimer e câncer.
  • Melhora na saúde como um todo e na longevidade. E um estudo realizado, mulheres que seguiram a Dieta do Mediterrâneo entre os 50 e 60 anos de idade tiveram mais chances de chegar a seus 70 anos de idade sem desenvolver doenças crônicas  ou problemas cognitivos.

Dieta do Mediterrâneo Associada a Cérebro mais Saudável

De maneira geral, a Dieta do Mediterrâneo é uma das melhores dietas convencionais para a saúde cerebral e cardíaca. Por exemplo, uma pesquisa demonstrou que dietas ricas em gorduras saudáveis provenientes de castanhas, abacates e azeite de oliva podem favorecer a memória e a cognição em adultos idosos.
Uma pesquisa realizada anteriormente também sugeriu que a Dieta do Mediterrâneo pode reduzir as chances de desenvolver a doença de Alzheimer, porém não deixou claro se a dieta era a responsável por isso ou se as pessoas que tinham esse hábito de consumo alimentar também tinham um estilo de vida mais saudável reduzindo esse risco.
Visando esclarecer mais apuradamente as potenciais associações entre dieta e cognição, pesquisadores designaram, aleatoriamente, em torno de 450 idosos com fatores de risco para doenças cardiovasculares – como sobrepeso, pressão alta e/ou colesterol alto – para seguir uma das seguintes dietas:
  • Dieta do Mediterrâneo complementada com um litro de azeite de oliva virgem por semana
  • Dieta do Mediterrâneo complementada com 30 gramas de castanhas por dia
  • Dieta com baixo teor de gordura  
Exames das funções cerebrais foram realizados antes e depois do estudo. Aqueles que seguiram a Dieta do Mediterrâneo complementada com castanhas mostraram significante melhora na memória, enquanto aqueles que complementaram a dieta com azeite de oliva mostraram significante melhora na cognição.
O grupo da dieta pobre em gordura, por outro lado, mostrou significante redução tanto na memória como na função cognitiva.

Adultos Idosos Sofrem Menor Encolhimento do Cérebro com a Dieta do Mediterrâneo

Mais recentemente, cientistas descobriram que a Dieta do Mediterrâneo também ajuda a reduzir o encolhimento do cérebro relacionado à idade em adultos idosos. Conforme relatado pelo LA Times:
“Em um grupo de 562 escoceses na faixa dos 70 anos de idade, aqueles cujo padrão de consumo alimentar estava mais próximo da dieta mediterrânea tiveram, em média, metade da porcentagem de encolhimento do cérebro normal para o grupo como um todo ao longo de três anos...
Os pesquisadores usaram levantamentos sobre hábitos alimentares para dividir o grupo em dois – aqueles que estavam pelo menos próximos da Dieta do Mediterrâneo e aqueles que não estavam nada próximos dela.
Mesmo que várias pessoas do grupo da Dieta do Mediterrâneo estivessem longe da perfeição em sua adesão, a média de perda de volume cerebral foi significativamente diferente entre os dois grupos.”

Seu Cérebro Necessita de Gorduras Saudáveis

Resultados como esses certamente fazem sentido se você considerar a importância das gorduras saudáveis para a função cerebral. Afinal, o cérebro é composto de, pelo menos, 60% de gordura – a mais importante de todas é a DHA, encontrada em frutos do mar como óleo de peixe e de krill. Considerando isso, é importante escolher seu fruto do mar de maneira sábia.
Você deve procurar por peixes ricos em gorduras saudáveis, como ômega-3, que contenham também baixos teores de mercúrio e outros poluentes ambientais. Uma boa escolha são os peixes gordurosos menores como sardinhas, anchovas e arenque.
Como regra geral, quanto menor for o peixe na cadeia alimentar, menor a probabilidade de ele conter níveis prejudiciais de contaminantes. Muitos desses peixes menores também contêm quantidades maiores de ômega-3, portanto consumi-los só traz vantagens. O salmão do Alasca pescado em ambiente selvagem é outra escolha saudável.
Se você evita peixe, é importante consumir suplementos com alta quantidade de ômega-3, como o óleo de krill.
Além do peixe, outros exemplos de gorduras benéficas que seu organismo (e seu cérebro, em particular) necessitam para um ótimo funcionamento são o abacate, a manteiga crua proveniente do leite de vaca alimentada com grama orgânica, a manteiga clarificada chamada ghee (feita com leite de vaca ou de búfala, semelhante à manteiga de garrafa aqui do Brasil), azeitonas, azeite de oliva virgem orgânico e óleo de coco, nozes como pecan e macadâmia e ovos provenientes de galinhas criadas ao ar livre.

Ômega-3 é Importante

O ômega-3 de origem animal em combinação com a vitamina D também tem demonstrado melhorar as funções cognitivas e o comportamento associado a determinadas condições psiquiátricas, incluindo TDAH, bipolaridade e esquizofrenia – em parte, por ser um regulador dos níveis de serotonina do cérebro.
O EPA da gordura ômega-3 reduz moléculas sinalizadoras de inflamações no cérebro que inibem a liberação de serotonina de neurônios pré-sinápticos melhorando os níveis de serotonina. O DHA – importante componente estrutural das células cerebrais – também influencia beneficamente os receptores de serotonina aumentando o acesso a ela.
Outras dietas demonstram ser particularmente benéficas para a saúde cerebral incluindo as dietas DASH e MIND, sendo que esta última enfatiza o consumo de frutas e vegetais, especialmente verduras folhosas e bagas, grãos integrais, castanhas, azeite de oliva, feijões, aves e peixe, e limita carne vermelha, queijo, manteiga, doces e alimentos fritos.
O que estas três dietas têm em comum é a ênfase em alimentos integrais, particularmente frutas frescas e vegetais e, pelo menos, ALGUMA gordura saudável.

Benefícios da dieta DASH

A dieta DASH, em particular, tem mostrado ser bastante eficiente na redução do risco de desenvolvimento da hipertensão. No entanto, acredito que a real razão deste efeito não está relacionada à redução do sal e sim à redução do consumo de alimentos processados, que são ricos em frutose.
Como os níveis de insulina e leptina aumentam em resposta aos net carbs, isso causa aumento na pressão arterial.
O excesso de frutose provoca hipertensão em um grau mais elevado do que o excesso de sal. Um estudo realizado em 2010 concluiu que as pessoas que consumiam 74 gramas ou mais de frutose por dia (equivalente a 2,5 bebidas açucaradas) possuíam risco 77% maior de contrair níveis de pressão arterial 160/100 mmHg (hipertensão estágio 2).
O consumo de 74 gramas ou mais de frutose por dia também aumentou em 26% o risco de leitura de pressão arterial de 135/85 e em 30% o risco de leitura de 140/90.
Níveis elevados de ácido úrico também estão significativamente associados à hipertensão (inibindo o óxido nítrico nos vasos sanguíneos), e a frutose aumenta o ácido úrico. Na verdade, o ácido úrico é um subproduto do metabolismo da frutose. Portanto, eliminando o excesso de açúcar e de frutose de sua dieta, você estará efetivamente tratando questões que contribuem para a pressão arterial alta.
Recomendo manter o consumo total de frutose abaixo de 25 gramas por dia. Se você for resistente à insulina (cerca de 80% dos Americanos são), tem pressão arterial alta, diabetes, doença cardíaca ou outra doença crônica, seria sensato limitar o consumo de frutose em 15 gramas ou menos por dia, até que seu quadro geral seja normalizado.

A Dieta do Mediterrâneo Pode Cortar o Risco de Desenvolvimento de Doenças Cardíacas

A importância das gorduras saudáveis não pode ser sobrestimada, em meu ponto de vista. As gorduras são importantes para vários processos biológicos, especialmente aqueles relacionados com as funções cerebrais e cardíacas.
No caso desta última, um ensaio espanhol, que incluiu aproximadamente 7.450 voluntários com idades entre 55 e 80 anos, foi interrompido antes do prazo suposto por motivos éticos, pois considerou que o grupo de controle de baixo teor de gordura estava em desvantagem perigosa.  
Todos os participantes foram diagnosticados com alto risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, porém eram assintomáticos no início do estudo. Os participantes foram acompanhados por 4,8 anos, em média. Os voluntários foram aleatoriamente divididos em três grupos (dois grupos de intervenção e um de controle):
  • Dieta do Mediterrâneo rica em vegetais frescos, frutas, frutos do mar, grãos integrais e gorduras monoinsaturadas, muito pobre em carne e lácteos e complementada com 30 gramas de castanhas por dia (15 gramas de nozes, 7,5 gramas de amêndoas e 7,5 gramas de avelãs).
  • Dieta do Mediterrâneo (como acima) complementada com 50 ml de azeite de oliva virgem no lugar das castanhas
  • Dieta com baixo teor de gordura (controle)
Não houve restrição de calorias para qualquer dos grupos, nem atividade física promovida ou exigida. O cumprimento do requerimento de consumo de azeite de oliva e castanhas foi testado com exames de sangue e urina. O resultado primário foi um composto de infarto do miocárdio, AVC e morte por problemas cardiovasculares.
Os resultados secundários foram AVC, infarto do miocárdio, morte por problemas cardiovasculares e morte por qualquer outro motivo.  
Notavelmente, em menos de cinco anos, os dois grupos de intervenção atingiram uma redução em 30% do risco relativo de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e a redução do desencadeamento de AVC foi de impressionantes 49%.  Não me admira a decisão dos pesquisadores de interromper o ensaio por razões éticas!
Infelizmente, dietas de baixo teor de gordura ainda estão entre as dietas mais aceitas na comunidade médica, tanto para a manutenção do peso como para a saúde cardíaca. Não há como estimar quantas pessoas tiveram morte precoce devido a este conceito fatalmente falho e cientificamente refutado.

Você Consome Peixe Suficientemente?

De acordo com o último relatório da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica), os Americanos aumentaram o consumo de frutos do mar em quase 0,5 quilo por pessoa em 2015, uma média de 7 quilos por ano, ou mais que 0,13 quilo por semana.  
É o maior aumento de consumo de frutos do mar em duas décadas, ainda que continuemos defasados em relação às recomendações alimentares, que são de 0,22 quilo de frutos do mar por semana. Idealmente, foque em duas a três porções de peixe como salmão ou sardinhas, anchovas, cavala e arenque toda semana para obter níveis saudáveis de ômega-3.
Evite atum enlatado, cavala, espadarte, garoupa, espadim, olho-de-vidro-laranja, pargo e alabote por possuírem alguns dos mais altos níveis de contaminação.

Para Boa Saúde e Longevidade, Certifique-se de Aumentar o Consumo de Ômega-3

Se você não consome esta quantidade de peixe semanalmente, considere consumir diariamente um suplemento de ômega-3 como óleo de krill. A dosagem de ômega-3 que você necessita depende da sua atura, idade, condição de saúde, tipo de ômega-3 e mais. O melhor a fazer é realizar o teste de índice de ômega-3.
Este teste mede o nível de ômega-3 nas células vermelhas do organismo que é, de fato, a única maneira de determinar se você está adquirindo quantidade suficiente de tal gordura através da alimentação ou suplementação. Seu índice deve estar acima de 8%.
Ainda que não exista um padrão de dosagem de ômega-3 recomendado, algumas organizações de saúde recomendam uma dose diária de 250 a 500 mg de EPA e DHA para adultos saudáveis. Quantidades mais altas (acima de 1.000 a 2.000 mg de EPA e DHA diariamente) são tipicamente recomendadas para prevenção de perda de memória, depressão e doenças cardíacas.
Se você estiver grávida ou amamentando, seu organismo provavelmente necessitará de um adicional de gorduras ômega-3. A Associação Dietética Americana e Nutricionistas do Canadá recomenda que mulheres grávidas e amamentando (e também todos os adultos) consumam pelo menos 500 mg de ômega-3, incluindo EPA e DHA, diariamente.

Existe Algo Melhor que a Dieta do Mediterrâneo?

Se você for saudável e tiver porcentagem de gordura corporal ideal, então as opções alimentares discutidas acima são uma escolha sensata, particularmente se você fizer parte do grupo de outras variáveis discutidas na seção acima.  
Porém, a triste realidade é que 80% das pessoas não se encaixam neste perfil, uma vez que ou estão com sobrepeso, ou têm câncer, doenças cardíacas, diabetes, doenças autoimunes ou neurodegenerativas. Se isto se aplica a você ou a alguém que você estima, então firmemente acredito que você precisa ensinar seu organismo a queimar gordura como seu combustível primário antes de adotar esse tipo de dieta.
Meu novo livro, “Fat for Fuel” (Gordura como Combustível), discute como limitar radicalmente o consumo de carboidratos e proteína integrando períodos de alta ingestão de alimentos e jejum, o que ajudará seu organismo a reconquistar a habilidade de queimar gordura como combustível primário.
Uma vez que você normalize seu peso e outras condições e seu organismo reconquiste a capacidade de queimar gordura como combustível primário, então faz todo sentido adotar a Dieta do Mediterrâneo.

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/02/23/dieta-do-mediterraneo.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=2232017_dieta-do-mediterraneo

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Tratamento Natural da Asma

Asma 
08/02/2017.

Por Dr. Mercola

A asma é um problema crescente, tanto para crianças quanto para adultos. Na verdade, a asma aumentou mais de 300% nos últimos 20 anos.
Você não gostaria de ter um tratamento simples, altamente eficaz e incrivelmente barato para esta doença muito grave?
Infelizmente, a maioria dos médicos nada sabe sobre o uso de vitamina D para tratar a asma, mas inscrevendo-se neste site você pode facilmente manter-se a par das últimas noticias que a ciência tem para oferecer sobre o fornecimento de terapias naturais seguras e baratas para problemas comuns.
É nisso que nos especializamos.
Se a deficiência de vitamina D é de fato uma das principais causas subjacentes de asma, o que certamente parece ser, muitos sofrem desnecessariamente de uma doença potencialmente fatal, já que a deficiência de vitamina D é facilmente corrigida.
Sem mencionar o fato de que muitos estão desnecessariamente expondo-se aos perigos inerentes aos tratamentos com remédios comuns para a asma.
O Advair, por exemplo, contém o beta-agonista de ação prolongada (long-acting beta-agonist -LABA) salmeterol. Uma análise de 2006 constatou que o uso regular de LABAs pode aumentar a gravidade de um ataque de asma. Os pesquisadores estimam que o salmeterol pode ser responsável por até 5.000 mortes relacionadas à asma nos EUA a cada ano.
Os tratamentos convencionais contra a asma também podem aumentar o risco de doença cardíaca e osteoporose, só para citar alguns.
Então não é ótimo saber que existe um método eficaz e infinitamente mais seguro de tratar a asma?!

A Deficiência De Vitamina D É Provavelmente Uma Causa Subjacente Da Asma

De acordo com o principal autor do estudo:
"Para as crianças afro-americanas com asma, os exames de vitamina D e a garantia de uma ingestão adequada de vitamina D precisam tornar-se etapas necessárias para seus cuidados primários."
Sim!
E isso não se aplica exclusivamente aos afro-americanos. Conforme reportado pela USA Today, meros cinco a 37 por cento de todas as crianças americanas atendem ao padrão de vitamina D estabelecido pela American Academy of Pediatrics, que é de apenas 400 UI por dia!
Esta dose foi recomendada para prevenir o raquitismo, o que funciona bem, mas não oferece proteção contra doenças mais graves, como câncer, doenças cardíacas, infecções e provavelmente asma também.
Pesquisas anteriores mostraram que a dose pediátrica diária recomendada é lamentavelmente inadequada para a maioria das crianças, afirmando que muitos bebês podem precisar de tanto quanto 10 vezes essa quantidade para colher todos os benefícios para a saúde.
Além disso, é importante saber que você está construindo as bases da saúde do seu filho enquanto ele ainda está no útero.
Um estudo de 2007 descobriu que dietas pobres e a falta de vitamina D entre as mães foram os fatores determinantes para que seus filhos sofressem de asma, independentemente da ingestão de vitamina D da criança após o nascimento.
Há também vários outros estudos mostrando o impacto benéfico da vitamina D sobre a saúde pulmonar.
Isso faz todo o sentido uma vez que você saiba que apenas um dos 3.000 genes regulados pela vitamina D é um gene que produz mais de 200 peptídeos antimicrobianos, alguns dos quais funcionam como um antibiótico de amplo espectro.
Aqui está uma pequena lista de estudos confirmando a associação inversa entre infecções do trato respiratório inferior e níveis de 25 (OH) D em crianças. Ou seja, quanto maior for o nível de vitamina D do seu filho, menor o risco dele contrair infecções do trato respiratório:
  1. Um estudo feito em 2009  sobre a deficiência de vitamina D em recém-nascidos com infecção do trato respiratório superior (upper respiratory infection -URI) confirmou uma forte e positiva correlação entre os níveis de vitamina D dos recém-nascidos e os da mãe. Mais de 87 por cento de todos os recém-nascidos e mais de 67 por cento de todas as mães tinham níveis de vitamina D inferiores a 20 ng / ml, o que é um estado de deficiência grave.
    Os recém-nascidos com deficiência de vitamina D parecem ter um risco aumentado de desenvolver uma infecção do trato respiratório superior e, como o nível de vitamina D da criança está fortemente correlacionado com o da mãe, os pesquisadores recomendam que todas as mães otimizem seus níveis de vitamina D durante a gravidez, especialmente nos meses de inverno para proteger a saúde de seu bebê.
  2. Um estudo indiano similar publicado em 2004 também reportou que a deficiência de vitamina D em bebês aumenta significativamente a probabilidade de terem uma infecção do trato respiratório superior grave.
  3. Uma análise feita em 2009 pelo Third National Health and Nutrition Examination Survey  examinou a associação entre os níveis de vitamina D e as recentes infecções do trato respiratório superior (URI) em quase 19.000 indivíduos com idade superior a 12 anos.
    Houve uma correlação positiva entre níveis mais baixos de vitamina D e um risco aumentado de infecção do trato respiratório superior, e esta correlação foi ainda mais forte em indivíduos com asma e doença pulmonar obstrutiva crônica.
  4. Outra reportagem de 2009 da revista Pediatric Research afirmou que os bebês e as crianças parecem mais suscetíveis a infecções virais do que bacterianas quando deficientes em vitamina D. E que, com base nas evidências disponíveis que mostram uma forte ligação entre a vitamina D, infecções e função imunológica nas crianças, a vitamina D pode ser uma terapia valiosa para a medicina pediátrica.
Sim, a otimização de sua função imunológica é uma parte essencial do tratamento da asma, e a vitamina D é comprovadamente um modulador da resposta imune incrivelmente poderoso, razão pela qual otimizar os níveis de vitamina D do seu filho deve estar no topo de sua lista de prioridades.

Como Melhorar Os Níveis De Vitamina D De Seu Filho

Lembre-se, é muito provável que seu filho vá precisar de muito mais do que a dose diária recomendada, que é de meras 400 unidades por dia. Você realmente precisa certificar-se de que seu filho está recebendo níveis terapêuticos.
Idealmente, seu filho receberia sua vitamina D da exposição segura ao sol, mas embora muitas crianças passem mais tempo ao ar livre do que seus pais, muitos ainda não estão recebendo uma exposição ao sol suficiente - especialmente se você besuntá-los com protetor solar.
Eu recomendo que você permita a seu filho passar algum tempo ao ar livre sem protetor solar. Mas você deve ser muito cuidadoso e certificar-se de que seu filho não fique queimado pelo sol! Você saberá que ele já obteve exposição suficiente quando sua pele se tornar levemente rosada. Depois disso, o corpo dele não vai produzir mais vitamina D e a exposição contínua só vai causar danos à pele.
Se o seu filho não tem acesso à exposição solar regular, eu recomendo suplementos orais. Você também pode usar gotas de vitamina D para crianças que são muito pequenas para engolir uma pílula.
Com base nas últimas pesquisas, a dosagem recomendada para crianças é de 35 IU de vitamina D por libra (1 libra = 0,45 kg) de peso corporal. Porem há uma ressalva: seria útil fazer um exame dos níveis de vitamina D do seu filho após ele começar a tomar os suplementos orais, para garantir que eles estão dentro da faixa terapêutica de 50-70 ng / ml.
Você também deve se certificar de que está usando o exame correto e um laboratório respeitável. Nos EUA, recomendo usar o LabCorp. Se você fizer os níveis de seu filho chegarem a cerca de 60 ng / ml, há uma forte probabilidade - especialmente se você combinar isto com o exercício e equilibrar suas gorduras ômega 3 e ômega 6 como descrito abaixo – de que ele / ela não vai sofrer com a Asma.

Estratégias Adicionais Seguras E Eficazes Para Tratar A Asma

Embora a asma seja uma doença grave, tratá-la seguramente não é algo complicado. Otimizar os níveis de vitamina D do seu filho é o primeiro passo, mas existem outras estratégias básicas e simples que podem ajudar também a tratar a raiz do problema.
Na minha experiência, as seguintes estratégias são altamente eficazes no tratamento da asma:

  • Aumentar a ingestão de gorduras ômega 3 de origem animal – Eu não posso enfatizar suficientemente  a importância de se providenciar quantidades suficientes de gorduras ômega 3 de origem animal de alta qualidade na dieta do seu filho.
    Embora eu acredite fortemente que todos nós precisemos de gorduras ômega-3 de origem vegetal, a diferença é que a maioria das pessoas não possui o mecanismo metabólico para converter rapidamente o ALA dessas plantas nas gorduras de ordem superior DHA e EPA, que são anti-inflamatórios potentes.

    Embora eu ainda recomende o óleo de peixe em alguns casos, eu acredito que o óleo de krill é uma fonte ainda melhor de gorduras ômega 3  para a maioria das pessoas.
  • Reduza a ingestão de gorduras ômega 6 do seu filho – Além de adicionar gorduras ômega 3 à dieta do seu filho, você também deve reduzir a quantidade de gorduras ômega 6  que ele consome porque a relação entre essas duas gorduras é muito importante.
    Muitos não percebem que cerca de um século atrás, as pessoas só consumiam 1-2 quilos de gorduras vegetais baseadas em ômega 6 por ano. Hoje, a média de consumo é de cerca de 75-80 libras (34-36 kg) por ano desses óleos vegetais, como o óleo de milho, soja e óleo de açafrão.
  • Considere a hipótese da higiene – Há uma tendência em nossa cultura moderna de ser obsessivo em relação à limpeza, especialmente em crianças. No entanto, isso pode não ser tão saudável como se pensava inicialmente. Parece que estar exposto a infecções bacterianas e virais comuns na infância pode ser importante para fornecer o estímulo ao seu sistema imunológico para que ele evite naturalmente a asma.
  • Exercite-se regularmente – Exercitar-se (especialmente em ambientes abertos com ar fresco se você for asmático) é realmente crucial, pois ajuda a moderar os níveis de insulina. Isso aumenta a sensibilidade do seu receptor de insulina e, como resultado, seu corpo produz menos insulina, o que tende a otimizá-lo.
Você também pode usar testes de alergia para desenvolver o sistema imunológico do seu filho. No entanto, minha experiência é de que os testes convencionais não funcionam muito eficazmente e há uma quantidade razoável de risco. Um teste muito melhor seria o teste de provocação-neutralização, que é um teste cutâneo intradérmico.
Quanto aos remédios naturais, você pode tentar a Petasites (Petasites hybridus). Este arbusto perene tem sido usado desde os tempos antigos para tratar uma variedade de doenças. Já no século XVII, a petasites foi usada para tratar tosse, asma e feridas na pele.
Desde então, os pesquisadores identificaram os compostos na petasites que ajudam a reduzir sintomas da asma inibindo leucotrienos e histamínicos, que são responsáveis pelo agravamento dos sintomas da asma.
Lembre-se também que os produtos lácteos pasteurizados são notórios por tornar a asma pior.

Conclusão

Como se vê, a deficiência de vitamina D é a origem de inúmeras doenças e problemas de saúde, e a cura não poderia ser mais segura ou simples!
Se você seguir estas estratégias simples discutidas acima, você pode praticamente eliminar sua necessidade de tomar remédios com broncodilatadores e esteroides, por exemplo, e ESSE é um exemplo perfeito de tomar o controle da sua saúde e da saúde de sua família!

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/02/08/controlando-a-asma-do-seu-filho-com-remedio-natural.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=2082017_controlando-a-asma-do-seu-filho-com-remedio-natural