Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Ataque Cardíaco. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ataque Cardíaco. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Cinco Mudanças no Estilo de Vida que Podem Prevenir Ataques Cardíacos

Saúde do Coração 

15 Novembro 2017
Por Dr. Mercola

A doença cardíaca ceifa as vidas de cerca de 1 milhão de pessoas todo ano, tornando-se a principal causa de morte para homens e mulheres. A forma mais comum de doença cardíaca é a doença arterial coronariana (Coronary Artery Disease-CAD), que pode levar a um ataque cardíaco.

Somente neste ano, 920.000 pessoas terão um ataque cardíaco, e cerca de metade deles ocorrerá repentinamente sem sinais prévios de alerta.

Um ataque cardíaco ocorre quando o fluxo sanguíneo para uma parte do seu coração fica bloqueado. Isso geralmente é o resultado da acumulação de placa dentro de suas artérias (aterosclerose), que pode romper-se e formar um coágulo de sangue que bloqueia o fluxo sanguíneo.

Se este bloqueio não for desobstruído rapidamente, uma parte do músculo cardíaco começará a morrer e será substituída por tecido cicatricial, o que pode causar sérios problemas no futuro.

Por exemplo, um ataque cardíaco anterior (especialmente se uma grande área de seu coração foi danificada) é um fator de risco para parada cardíaca súbita, causada por ritmos cardíacos anormais e pode ser fatal.

Cinco Mudanças no Estilo de Vida que Podem Prevenir Ataques Cardíacos

É notável que os ataques cardíacos sejam tão comuns e causem tanta dor (emocional e física) e incapacidade quando eles quase sempre são previsíveis. Você provavelmente já está ciente de que seu estilo de vida desempenha um papel no seu risco de sofrer de doença cardíaca (e ataques cardíacos), mas talvez você ainda não tenha levado isso a sério…

Se você precisar de alguma motivação, considere um novo estudo realizado no Instituto Karolinska. Ele descobriu que praticar cinco hábitos de estilo de vida saudáveis poderia prevenir quase 80 por cento dos primeiros ataques cardíacos em homens.
Infelizmente, a maioria das pessoas não usa esses hábitos de estilo de vida a seu favor. O estudo em destaque envolveu homens de 45 a 79 anos... e apenas 1% deles praticou todos os cinco comportamentos de “baixo risco” que poderiam prevenir um ataque cardíaco. Então, quais são os cinco hábitos de vida saudáveis?

  1. Ter uma dieta saudável
  2. Ser fisicamente ativo (andar/andar de bicicleta ≥40 min /dia e exercitar-se ≥1 h/semana)
  3. Ter uma circunferência da cintura saudável (circunferência da cintura <95 37="" cm="" ou="" polegadas="" span="">
  4. Consumir álcool de forma moderada (10 a 30 g/dia)
  5. Não fumar

Que tipo de Alimento é Saudável para o seu Coração?

Contrariamente à crença popular, os carboidratos e açúcar refinados e os alimentos processados são o verdadeiro inimigo - e não as gorduras saturadas encontradas em alimentos como a manteiga, banha ou ovos.
 
Parte da confusão sobre as gorduras gira em torno de seu impacto no colesterol LDL, muitas vezes referido como colesterol “ruim”. De acordo com a visão convencional, o LDL alto está correlacionado à doença cardíaca e a gordura saturada tende a aumentar o LDL. No entanto, agora entendemos que existem dois tipos de partículas de colesterol LDL:

  • Colesterol LDL pequeno e denso
  • Colesterol LDL grande e “fofo”
O segundo não é “ruim”. Uma pesquisa confirmou que grandes partículas de LDL não contribuem para doenças cardíacas. As pequenas e densas partículas de LDL, no entanto, contribuem para a acumulação de placa nas suas artérias, e a gordura trans aumenta o LDL pequeno e denso. A gordura saturada, por outro lado, aumenta o LDL grande, fofo e benigno.

Mais importante ainda, a pesquisa também demonstrou que pequenas e densas partículas de LDL são aumentadas ao se comer açúcar e carboidratos refinados, como pão, bagels e refrigerante. Juntos, as gorduras trans e os carboidratos refinados causam muito mais danos do que as gorduras saturadas possivelmente poderiam causar.

Infelizmente, quando a hipótese de colesterol foi estabelecida, a indústria de alimentos mudou para alimentos com baixo teor de gordura, substituindo as gorduras saturadas saudáveis como a manteiga e banha por gorduras trans prejudiciais (óleos vegetais, margarina, etc.) e muito açúcar refinado e frutose processada.

Um Verdadeiro Plano de Alimentação Saudável para o Coração

Se você quiser proteger seu coração, você precisa evitar as gorduras trans ao eliminar todos os alimentos processados (o que também inclui a maioria dos alimentos servidos em restaurantes). Você também precisa tratar sua resistência à insulina e leptina que é o resultado de ter uma dieta muito rica em açúcares e grãos.
Para reduzir o risco de doença cardíaca, você precisa aderir às seguintes sugestões:


1. Evite o açúcar, frutose processada e grãos. Isso efetivamente significa que você deve evitar a maioria dos alimentos processados

2. Tenha uma dieta saudável com alimentos in-natura, idealmente orgânicos, e substitua os carboidratos dos grãos com:
Grandes quantidades de verduras
Quantidades de baixas a moderadas de proteína de alta qualidade (pense naquelas cultivadas organicamente, de animais alimentados com pasto)
Gordura saudável de alta qualidade (saturada e monoinsaturada de fontes de óleo animais e tropicais). A maioria das pessoas realmente precisa de mais de 50 a 85 por cento de gorduras em sua dieta para ter uma saúde otimizada - muito longe dos 10 por cento atualmente recomendados. Fontes de gorduras saudáveis para adicionar à sua dieta incluem:

Abacates Manteiga feita de leite orgânico de animais alimentados com grama Laticínios crus Gemas de ovos orgânicos de animais alimentados com pasto
Coco e óleo de coco Óleos de nozes orgânicos não aquecidos Oleaginosas cruas, como amêndoas, pecãs, macadâmia e sementes Carnes de animais alimentados com capim

O equilíbrio da sua relação entre ômega-3 e ômega-6 também é fundamental para a saúde do coração, pois esses ácidos graxos ajudam a construir as células nas artérias que fazem a prostaciclina que mantém seu sangue fluindo suavemente.

A deficiência de ômega-3 pode causar ou contribuir com problemas de saúde muito sérios, tanto físicos quanto mentais, e pode ser um fator subjacente significativo em até 96.000 mortes prematuras por ano.

Você pode fazer isso evitando a maioria dos óleos vegetais e aumentando a ingestão de pequenos peixes oleosos selvagens (sardinha e anchovas) ou tomando um suplemento de óleo de krill de alta qualidade.

Você Deveria Comer Mais Frutas para Ajudar seu Coração?

Um estudo apresentado este ano no Congresso ESC em Barcelona, Espanha, revelou que as pessoas que comem frutas diariamente tinham um risco 40 por cento menor de ter doença cardíaca e um risco 32 por cento menor de morte por qualquer causa, do que aqueles que não o fazem.
Além disso, quanto mais frutas comiam, menor era seu risco de doença cardíaca. As frutas podem ser uma excelente fonte de antioxidantes, vitaminas, minerais e outros fitoquímicos, muitos dos quais possuem efeitos anti-inflamatórios saudáveis para o coração.

Por exemplo, uma pesquisa publicada no British Medical Journal (BMJ) revelou que simplesmente comer uma maçã por dia pode ajudar a prevenir mortes relacionadas a doenças cardiovasculares em pessoas com mais de 50 anos em grau similar ao uso de uma estatina diária.

Mesmo assim, eu faço uma advertência contra comer frutas demais, especialmente as frutas mais doces que são comuns atualmente. Muitos dos fitonutrientes mais benéficos encontrados nas frutas realmente têm gosto amargo, azedo ou adstringente, e são encontrados na casca e nas sementes.

Para satisfazer o paladar moderno, os fazendeiros, ao longo do tempo, optaram por cultivar seletivamente as variedades mais doces, o que tornou as frutas muito menos nutritivas do que eram. Ainda assim, frutas cuidadosamente escolhidas - como maçãs, mirtilos ou cerejas orgânicas - certamente podem ser benéficas quando consumidas com moderação.
As frutas contêm diferentes níveis de frutose e você deve evitar consumir frutose em excesso para proteger seu coração. Minhas recomendações em relação às frutas (e consumo de frutose) são as seguintes:

  1. Se você tem resistência à insulina ou leptina (tem excesso de peso, diabetes, hipertensão ou colesterol alto), o que inclui cerca de 80% dos americanos, seria aconselhável limitar a sua ingestão de frutas. Como regra geral, recomendo limitar a ingestão de frutose a um máximo de 15 gramas de frutose de todas as fontes por dia, incluindo frutas in-natura. Você pode encontrar um gráfico de níveis de frutose em frutas comuns aqui.
  2. Se você não tiver resistência à insulina/leptina (tem um peso normal sem diabetes, hipertensão ou colesterol alto) e dedica-se regularmente a uma atividade física extenuante ou a um trabalho manual, então não é provável que uma ingestão maior de frutose cause problemas de saúde. Neste caso, você provavelmente pode comer mais frutas sem preocupar-se muito.
    • No entanto, se você se encaixar na categoria dois acima, você pode beneficiar-se de um refinamento adicional. A fruta ainda aumentará o açúcar no seu sangue e muitos especialistas acreditam que isso aumentará a sua glicosilação proteica. Então, meu método é consumir a fruta tipicamente após um treino, pois seu corpo usará o açúcar como combustível em vez de aumentar o nível de açúcar no sangue.
    • Além disso, se você é um atleta de resistência, você provavelmente não terá nenhum problema ao comer quantidades grandes de frutas, pois seu corpo usará a maior parte da glicose durante o exercício, e ela não será armazenada como gordura (dito isto, eu ainda acredito que os atletas fariam bem em considerar em mudar para a queima de gordura ao invés de confiar em açúcares que são rapidamente absorvidos).
    • Se você ainda não tiver certeza de quão restritivo você precisa ser, verifique seus níveis de ácido úrico e use isso como um guia.

Os Medicamentos para Diabetes Aumentam o Risco de Doença Cardíaca

A metformina, um remédio que torna os tecidos do seu corpo mais sensíveis à insulina, é um dos medicamentos para diabetes mais comuns no mercado. No entanto, novas pesquisas demonstraram que, entre pessoas com hipotireoidismo, o uso de metformina foi associado a um risco aumentado de níveis baixos do hormônio estimulante da tireoide (TSH).

Se seus níveis de TSH tornam-se muito baixos, isso pode levar a alguns danos sérios, incluindo problemas cardíacos como a fibrilação atrial, o que, por sua vez, pode levar à insuficiência cardíaca congestiva. Uma pesquisa separada desta também mostrou que o tratamento de diabetes tipo 2 com medicamentos que reduzem a glicose realmente demonstrou o potencial em aumentar seu risco de morte por doenças relacionadas ao coração e todas as outras. Os pesquisadores notaram que:

“Os resultados gerais desta meta-análise não demonstraram um benefício no tratamento intensivo de redução da glicose por todas as causas, mortalidade ou morte cardiovascular. Um aumento de 19% na mortalidade por todas as causas e um aumento de 43% na mortalidade cardiovascular não pode ser excluído.”
Esses riscos geralmente não são necessários, pois a diabetes tipo 2 é fácil de se reverter sem remédios. Se você quiser a versão resumida... simplesmente trocar alimentos processados por alimentos orgânicos in-natura mais baixos em açúcares e carboidratos formadores de açúcar - junto com alguns minutos de exercícios regulares de alta intensidade - rapidamente o colocará no caminho para reverter a diabetes.

Evite Tornar-se Outra Estatística de Ataques Cardíacos

Existem muitas estratégias que podem proteger o seu coração e praticamente eliminar o risco de doença cardíaca. Não espere até que experimentar sintomas de ataque cardíaco para agir porque o sintoma mais comum de doença cardíaca é morte súbita, então você estará morto antes mesmo de saber que tem um problema. Faça isso agora para evitar danos duradouros:


Coma gorduras animais saturadas não processadas e ignore a mídia, pois você irá beneficiar-se com essas gorduras. Muitos também podem beneficiar-se de aumentar a gordura saudável na sua dieta para 50 a 85 por cento das calorias diárias

Evite todos os açúcares, incluindo frutose e grãos processados, se você tiver resistência à insulina e leptina. Não importa se eles são convencionais ou orgânicos, pois uma dieta com alto teor de açúcar promove a resistência à insulina e leptina, que é o principal fator de doença cardíaca

Faça exercícios com regularidade, já que a atividade física junto a uma dieta saudável de alimentos in-natura, de preferência orgânicos, pode ser tão potente - se não mais potente - que os medicamentos que reduzem o colesterol. Use uma combinação de treinamento intervalado de alta intensidade, treinamento de força, alongamento e exercícios de tronco

Evite ficar sentado de forma excessiva; busque ficar sentado somente três horas por dia ou menos e tente dar 10.000 passos por dia (além dos seus exercícios)

Evite as estatinas, pois os efeitos colaterais destes remédios são numerosos, enquanto os benefícios são discutíveis. Em minha opinião, tipicamente, o único grupo de pessoas que pode beneficiar-se de uma medicação para reduzir o colesterol são aqueles com hipercolesterolemia familiar genética. Esta é uma condição caracterizada por colesterol anormalmente elevado, que tende a ser resistente a estratégias de estilo de vida como dieta e exercício

Otimize seus níveis de vitamina D, seja por meio de uma exposição correta ao sol, uma cama de bronzeamento ou, como último recurso, um suplemento oral de vitamina D3

Regularmente caminhe com os pés descalços para conectar-se à Terra. Quando você faz isso, os elétrons livres são transferidos da Terra para o seu corpo, e este efeito de conexão é um dos antioxidantes mais potentes que conhecemos e ajuda a aliviar a inflamação em todo o seu corpo

Controle seu estresse diariamente. Minha ferramenta favorita para o controle do estresse são as Técnicas de Libertação Emocional (Emotional Freedom Technique -EFT)

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/11/15/5-mudancas-para-ter-um-estilo-de-vida-saudavel.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=11152017_5-mudancas-para-ter-um-estilo-de-vida-saudavel

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

O que Acontece com seu Corpo durante um Ataque Cardíaco?

Ataque cardíaco
Artigo do Dr. Mercola de 01 de agosto de 2016.

Por Dr. Mercola

Um ataque cardíaco pode acontecer repentinamente. Seus sintomas são bem comuns e várias pessoas não percebem, a princípio, que já estão tendo um. Às vezes, pode haver apenas UM sintoma e isso faz com que o ataque cardíaco seja ainda mais difícil de diagnosticar.
Mas o que realmente acontece quando você tem um ataque cardíaco? Continue lendo para saber mais. 

O que é um ataque cardíaco?

O coração é um órgão extraordinário que ainda pode funcionar mesmo quando fora do seu corpo, desde que tenha a quantidade de oxigênio adequada. Ele deve trabalhar incessantemente para bombear sangue por todo o corpo.
É essencial que seu coração receba bastante sangue oxigenado, pois seu músculo cardíaco pode morrer se receber quantidade insuficiente. A perda de abastecimento de sangue pode ocorrer quando houver acúmulo de placas nas artérias coronárias, bloqueando o fluxo de sangue para o seu coração. A placa é feita de colesterol, substâncias gordas, desgaste celular, cálcio e fibrina.
Quando há acúmulo de placa nas artérias coronárias, isso pode resultar em espasmo arterial coronariano ou aterosclerose, que é o endurecimento dos músculos cardíacos e podem levar a um coágulo no sangue quando a placa romper.2 A aterosclerose pode levar à doença arterial coronária, que pode causar um ataque cardíaco.
Segundo a Associação Americana do Coração, o ataque cardíaco também pode acontecer quando o fluxo de sangue não consegue chegar ao coração devido a artérias cardíacas estreitas, conhecido normalmente como doença arterial coronariana.

 

Diferença entre ataque cardíaco e parada cardíaca

É importante saber a diferença entre ataque cardíaco e parada cardíaca uma vez que as pessoas geralmente têm a impressão de que eles são iguais. A parada cardíaca acontece devido ao mau funcionamento elétrico do coração, que causa um batimento cardíaco irregular e geralmente ocorre sem qualquer aviso.
A parada cardíaca é causada por diferentes motivos de saúde, como cardiomiopatia ou músculo cardíaco enrijecido, insuficiência cardíaca, síndrome do QT longo e fibrilação ventricular. O ataque cardíaco pode aumentar o risco de ter uma parada cardíaca e é o motivo comum para seu surgimento.

 

O que acontece em um ataque cardíaco?

Já pensou sobre o que acontece durante um ataque cardíaco? Vamos investigar a fundo o que acontece realmente dentro do seu corpo durante um ataque cardíaco e a função da placa nessa condição fatal.
Se seu coração vem acumulando placa com o passar dos anos, ela pode ficar espessa o suficiente e obstruir seu fluxo sanguíneo. Talvez você não perceba imediatamente que já tem um fluxo sanguíneo estreito, pois uma vez que a artéria coronária fica incapaz de levar sangue ao seu coração, outras artérias coronárias expandem para cuidar da tarefa da artéria incapacitada.
A placa é coberta por um revestimento fibroso sólido no lado externo, mas por dentro é macia devido ao teor de gordura. Se a placa na artéria coronária é rompida, as substâncias gordurosas são expostas. As plaquetas correm para a placa, formando um coágulo sanguíneo (o mesmo que acontece quando você tem um corte ou algum machucado).
O coágulo formado torna-se a principal obstrução ao seu fluxo sanguíneo. Seu coração fica com falta de sangue rico em oxigênio e seu sistema nervoso envia imediatamente um sinal ao cérebro sobre o que está acontecendo. Você começará a suar e seu batimento cardíaco será acelerado. Você também se sentirá enjoado e fraco.
À medida que o sistema nervoso envia sinais à medula espinhal, as outras partes do corpo começam a doer. Você começará a sentir uma dor enorme no peito que se espalha lentamente pelo pescoço, mandíbula, orelhas, braços, punhos, omoplatas, costas e até mesmo abdômen. Os pacientes de ataque cardíaco dizem que a dor que sentiram foi como uma prensa apertando seu peito, e pode durar de vários minutos a várias horas.
Os tecidos do seu coração morrerão se você não receber o tratamento adequado imediatamente. Se seu coração parar de bater completamente, as células cerebrais morrerão em um intervalo de apenas três a sete minutos. Se você receber tratamento imediatamente, seu coração começará a curar mas o tecido danificado jamais funcionará novamente, levando a um permanente fluxo sanguíneo lento.

 

Fatores de risco do ataque cardíaco

  • Idade. Os homens com 45 anos ou mais e as mulheres com 55 anos ao mais têm alto risco.
  • Fumo. A exposição prolongada à fumaça de outras pessoas confere a você um alto risco de doença cardiovascular.
  • Altos níveis de colesterol. Se você tem altos níveis de triglicerídeos e baixo HDL (lipoproteína de alta densidade), é provável que você tenha um risco maior de ataque cardíaco.
  • Diabetes, principalmente se não é tratado.
  • Histórico familiar de ataque cardíaco. Se alguém na sua família tem histórico de ataque cardíaco, você também poderá tê-lo.
  • Estilo de vida sedentário. Não ser ativo fisicamente leva a níveis altos de colesterol ruim que podem causar a formação de placas.
  • Obesidade. Se você perder 10% do seu peso corporal, também reduzirá seu risco de ataque cardíaco.
  • Estresse. Pesquisadores alemães descobriram que assim que quando se tem estresse, os níveis de glóbulos brancos aumentam. Eles, por sua vez, aumentam o risco de desenvolver aterosclerose e ruptura de placas.
  • Uso de drogas ilícitas. O uso de cocaína ou anfetaminas pode causar espasmo arterial coronariano.
  • Histórico de pré-eclâmpsia. Se você teve pressão alta durante a gravidez, seu risco de ter ataque cardíaco é alto.
  • Histórico de doença autoimune, como artrite reumatoide ou lúpus.
  • Se você tem algum desses fatores de risco, sugiro que você visite seu médico para mantê-lo protegido contra ataques cardíacos ou qualquer doença cardiovascular.

 

Sinais e sintomas de um ataque cardíaco

Algumas pessoas podem ter sintomas leves ou nenhum sintoma de ataque cardíaco – isso é chamado de ataque cardíaco silencioso. Acontece principalmente nas pessoas com diabetes.
Para evitar a morte prematura relacionada a doenças cardíacas, observe outros sintomas comuns desse problema fatal:
  1. Dor no peito ou desconforto. Esse é o sintoma mais comum quando se tem um ataque cardíaco. Algumas pessoas podem ter uma dor aguda repentina, enquanto outras podem ter só uma leve dor. Isso pode durar alguns minutos ou algumas horas.
  2. Desconforto na parte superior do corpo. Você pode sentir dor ou desconforto nos braços, costas, ombros, pescoço, mandíbula ou na parte superior do estômago.
  3. Falta de ar. Algumas pessoas podem ter somente esse sintoma, ou pode acontecer juntamente com a dor no peito.
  4. Suor frionáusea, vômitos e tontura repentina. Esses sintomas são mais comuns entre as mulheres.
  5. Cansaço incomum. Você pode se sentir cansado por motivos desconhecidos e às vezes isso pode durar vários dias.
As pessoas mais velhas que têm um ou mais desses sintomas normalmente os ignoram, pensando que são apenais sinais de envelhecimento. No entanto, se você sente um ou mais desses sintomas, peça para alguém chamar uma ambulância imediatamente. 

 

Como evitar um ataque cardíaco

A maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida. Recomendo estas práticas de estilo de vida para ajudá-lo a evitar um ataque cardíaco ou doença cardíaca:
  1. Tenha uma alimentação saudável.
  2. Uma dieta saudável para o coração não significa evitar totalmente as gorduras e o colesterol. Contrário à crença popular, as gorduras saturadas e o LDL (lipoproteína de baixa densidade) "grande e fofa" são, na verdade, bons para o corpo uma vez que são fonte de energia natural do seu corpo.
    Você também tem que evitar o consumo de alimentos processados, carboidratos refinados, açúcar (principalmente a frutose) e gorduras trans já que ajudam a aumentar o LDL "pequeno", que contribui para o acúmulo de placas.
    Recomendo as seguintes estratégias de dieta saudável:
    • Foco em alimentos integrais, frescos e orgânicos
    • Limite o consumo de frutose para 25 gramas por dia. Se você tem diabetes, hipertensão ou se é resistente à insulina, mantenha seu nível de frutose abaixo de 15 gramas por dia
    • Evite adoçantes artificiais
    • Remova o glúten e outros alimentos alergênicos da sua refeição
    • Inclua alimentos naturalmente fermentados na sua dieta, como laticínios e hortaliças cultivadas
    • Equilibre a relação de gordura ômega 3 para ômega 6 ingerindo salmão selvagem do Alasca ou tomando um suplemento de óleo de krill
    • Sempre tome água pura
    • Coma gorduras saturadas e monoinsaturadas de animais alimentados com pasto e óleo de krill
    • Consuma proteína de alta qualidade de animais alimentados organicamente
    Ter uma alimentação saudável pode não ser suficiente para mantê-lo protegido de um ataque cardíaco – lembre-se, também é importante observar a frequência que você come. Tendo isso dito, recomendo o jejum intermitente que limita sua alimentação diária para um intervalo de oito horas. Ele ajuda seu corpo a se reprogramar e a lembrar de como queimar gordura como energia.
  3. Faça exercícios regularmente.
  4. É essencial que enquanto você ingere alimentos saudáveis, também pratique exercícios por pelo menos 2,5 horas por semana. Recomendo fazer exercícios intervalados de alta intensidade, pois oferecem vários benefícios não só para o seu coração, como também para a saúde e bem-estar geral. Mas certifique-se de descansar após cada sessão para obter os melhores resultados.
  5.  Pare de fumar.
  6. O Centro americano de controle e prevenção (CDC) incluiu parar de fumar como uma medida para evitar doenças cardiovasculares, que podem levar a um ataque cardíaco. Fumar faz com que os vasos sanguíneos afinem e engrossem. Também causa a formação de coágulos de sangue que podem levar ao bloqueio do fluxo sanguíneo até o coração.
  7. Evite o consumo de álcool.
  8. O álcool tem alto teor de calorias vazias e faz com que você engorde. A ingestão de álcool faz com que o corpo pare de queimar gorduras e calorias. Como resultado, o alimento que você come vira gordura armazenada. O álcool também causa danos no córtex pré-frontal, que promove a alimentação impulsiva. Para manter uma ótima saúde, sugiro erradicar todas as formas de álcool do seu estilo de vida. 
  9. Sente-se o menos possível.
  10. As longas horas sentado têm efeitos prejudiciais na saúde, como um risco 50% maior de câncer de pulmão e 90% maior de diabetes tipo 2. Para manter um estilo de vida ativo em casa ou no trabalho, recomendo caminhar 7.000 a 10.000 passos por dia. O uso de um gadget como o Up3 da Jawbone também ajuda a monitorar suas atividades durante o dia todo.
  11. Melhore seus níveis de vitamina D.
  12. É essencial examinar seus níveis de vitamina D anualmente, pois a deficiência desta vitamina aumenta o risco de ataque cardíaco em 50%. Para obter os benefícios à saúde, você deve manter um nível de 40 ng/ml ou 5.000-6.000 UIs por dia.
    Recomendo veementemente a exposição ao sol como sua melhor fonte de vitamina D, embora alguns alimentos e suplementos de vitamina D3 sejam considerados boas fontes também.
  13. Experimente andar de pés descalços.
  14. Andar de pés descalços libera elétrons, que são potentes antioxidantes, da terra para o seu corpo. Andar de pés descalços também reduz a inflamação no corpo, uma vez que afina o sangue e enche você de íons de carga negativa.
  15. Libere-se do estresse.
  16. Um estudo publicado na mBio mostrou que quando você está estressado, seu corpo libera norepinefrina. Esse hormônio causa a dispersão de biofilmes bacterianos que resultam na ruptura de placas.
    Recomendo muito fazer a Técnica de Liberação Emocional (EFT) para gerenciar seu estresse. EFT é uma ferramenta psicológica de energia que ajuda a redefinir a reação do seu corpo em tempos de estresse. Isso pode reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas. 
Manter o coração saudável com certeza torna sua vida mais prazerosa e proveitosa. Lembre-se dessas estratégias benéficas e de bom senso para evitar um ataque cardíaco e para manter seu sistema cardiovascular funcionando perfeitamente. 

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2016/08/01/sintomas-ataque-cardiaco.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaru_lead&utm_campaign=8012016_sintomas-ataque-cardiaco