Tranduza (Translate)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Tratamento Natural da Asma

Asma 
 
08/02/2016.
 
Por Dr. Mercola

A asma é um problema crescente, tanto para crianças quanto para adultos. Na verdade, a asma aumentou mais de 300% nos últimos 20 anos.
Você não gostaria de ter um tratamento simples, altamente eficaz e incrivelmente barato para esta doença muito grave?
Infelizmente, a maioria dos médicos nada sabe sobre o uso de vitamina D para tratar a asma, mas inscrevendo-se neste site você pode facilmente manter-se a par das últimas noticias que a ciência tem para oferecer sobre o fornecimento de terapias naturais seguras e baratas para problemas comuns.
É nisso que nos especializamos.
Se a deficiência de vitamina D é de fato uma das principais causas subjacentes de asma, o que certamente parece ser, muitos sofrem desnecessariamente de uma doença potencialmente fatal, já que a deficiência de vitamina D é facilmente corrigida.
Sem mencionar o fato de que muitos estão desnecessariamente expondo-se aos perigos inerentes aos tratamentos com remédios comuns para a asma.
O Advair, por exemplo, contém o beta-agonista de ação prolongada (long-acting beta-agonist -LABA) salmeterol. Uma análise de 2006 constatou que o uso regular de LABAs pode aumentar a gravidade de um ataque de asma. Os pesquisadores estimam que o salmeterol pode ser responsável por até 5.000 mortes relacionadas à asma nos EUA a cada ano.
Os tratamentos convencionais contra a asma também podem aumentar o risco de doença cardíaca e osteoporose, só para citar alguns.
Então não é ótimo saber que existe um método eficaz e infinitamente mais seguro de tratar a asma?!

A Deficiência De Vitamina D É Provavelmente Uma Causa Subjacente Da Asma

De acordo com o principal autor do estudo:
"Para as crianças afro-americanas com asma, os exames de vitamina D e a garantia de uma ingestão adequada de vitamina D precisam tornar-se etapas necessárias para seus cuidados primários."
Sim!
E isso não se aplica exclusivamente aos afro-americanos. Conforme reportado pela USA Today, meros cinco a 37 por cento de todas as crianças americanas atendem ao padrão de vitamina D estabelecido pela American Academy of Pediatrics, que é de apenas 400 UI por dia!
Esta dose foi recomendada para prevenir o raquitismo, o que funciona bem, mas não oferece proteção contra doenças mais graves, como câncer, doenças cardíacas, infecções e provavelmente asma também.
Pesquisas anteriores mostraram que a dose pediátrica diária recomendada é lamentavelmente inadequada para a maioria das crianças, afirmando que muitos bebês podem precisar de tanto quanto 10 vezes essa quantidade para colher todos os benefícios para a saúde.
Além disso, é importante saber que você está construindo as bases da saúde do seu filho enquanto ele ainda está no útero.
Um estudo de 2007 descobriu que dietas pobres e a falta de vitamina D entre as mães foram os fatores determinantes para que seus filhos sofressem de asma, independentemente da ingestão de vitamina D da criança após o nascimento.
Há também vários outros estudos mostrando o impacto benéfico da vitamina D sobre a saúde pulmonar.
Isso faz todo o sentido uma vez que você saiba que apenas um dos 3.000 genes regulados pela vitamina D é um gene que produz mais de 200 peptídeos antimicrobianos, alguns dos quais funcionam como um antibiótico de amplo espectro.
Aqui está uma pequena lista de estudos confirmando a associação inversa entre infecções do trato respiratório inferior e níveis de 25 (OH) D em crianças. Ou seja, quanto maior for o nível de vitamina D do seu filho, menor o risco dele contrair infecções do trato respiratório:
  1. Um estudo feito em 2009  sobre a deficiência de vitamina D em recém-nascidos com infecção do trato respiratório superior (upper respiratory infection -URI) confirmou uma forte e positiva correlação entre os níveis de vitamina D dos recém-nascidos e os da mãe. Mais de 87 por cento de todos os recém-nascidos e mais de 67 por cento de todas as mães tinham níveis de vitamina D inferiores a 20 ng / ml, o que é um estado de deficiência grave.
    Os recém-nascidos com deficiência de vitamina D parecem ter um risco aumentado de desenvolver uma infecção do trato respiratório superior e, como o nível de vitamina D da criança está fortemente correlacionado com o da mãe, os pesquisadores recomendam que todas as mães otimizem seus níveis de vitamina D durante a gravidez, especialmente nos meses de inverno para proteger a saúde de seu bebê.
  2. Um estudo indiano similar publicado em 2004 também reportou que a deficiência de vitamina D em bebês aumenta significativamente a probabilidade de terem uma infecção do trato respiratório superior grave.
  3. Uma análise feita em 2009 pelo Third National Health and Nutrition Examination Survey  examinou a associação entre os níveis de vitamina D e as recentes infecções do trato respiratório superior (URI) em quase 19.000 indivíduos com idade superior a 12 anos.
    Houve uma correlação positiva entre níveis mais baixos de vitamina D e um risco aumentado de infecção do trato respiratório superior, e esta correlação foi ainda mais forte em indivíduos com asma e doença pulmonar obstrutiva crônica.
  4. Outra reportagem de 2009 da revista Pediatric Research afirmou que os bebês e as crianças parecem mais suscetíveis a infecções virais do que bacterianas quando deficientes em vitamina D. E que, com base nas evidências disponíveis que mostram uma forte ligação entre a vitamina D, infecções e função imunológica nas crianças, a vitamina D pode ser uma terapia valiosa para a medicina pediátrica.
Sim, a otimização de sua função imunológica é uma parte essencial do tratamento da asma, e a vitamina D é comprovadamente um modulador da resposta imune incrivelmente poderoso, razão pela qual otimizar os níveis de vitamina D do seu filho deve estar no topo de sua lista de prioridades.

Como Melhorar Os Níveis De Vitamina D De Seu Filho

Lembre-se, é muito provável que seu filho vá precisar de muito mais do que a dose diária recomendada, que é de meras 400 unidades por dia. Você realmente precisa certificar-se de que seu filho está recebendo níveis terapêuticos.
Idealmente, seu filho receberia sua vitamina D da exposição segura ao sol, mas embora muitas crianças passem mais tempo ao ar livre do que seus pais, muitos ainda não estão recebendo uma exposição ao sol suficiente - especialmente se você besuntá-los com protetor solar.
Eu recomendo que você permita a seu filho passar algum tempo ao ar livre sem protetor solar. Mas você deve ser muito cuidadoso e certificar-se de que seu filho não fique queimado pelo sol! Você saberá que ele já obteve exposição suficiente quando sua pele se tornar levemente rosada. Depois disso, o corpo dele não vai produzir mais vitamina D e a exposição contínua só vai causar danos à pele.
Se o seu filho não tem acesso à exposição solar regular, eu recomendo suplementos orais. Você também pode usar gotas de vitamina D para crianças que são muito pequenas para engolir uma pílula.
Com base nas últimas pesquisas, a dosagem recomendada para crianças é de 35 IU de vitamina D por libra (1 libra = 0,45 kg) de peso corporal. Porem há uma ressalva: seria útil fazer um exame dos níveis de vitamina D do seu filho após ele começar a tomar os suplementos orais, para garantir que eles estão dentro da faixa terapêutica de 50-70 ng / ml.
Você também deve se certificar de que está usando o exame correto e um laboratório respeitável. Nos EUA, recomendo usar o LabCorp. Se você fizer os níveis de seu filho chegarem a cerca de 60 ng / ml, há uma forte probabilidade - especialmente se você combinar isto com o exercício e equilibrar suas gorduras ômega 3 e ômega 6 como descrito abaixo – de que ele / ela não vai sofrer com a Asma.

Estratégias Adicionais Seguras E Eficazes Para Tratar A Asma

Embora a asma seja uma doença grave, tratá-la seguramente não é algo complicado. Otimizar os níveis de vitamina D do seu filho é o primeiro passo, mas existem outras estratégias básicas e simples que podem ajudar também a tratar a raiz do problema.
Na minha experiência, as seguintes estratégias são altamente eficazes no tratamento da asma:

  • Aumentar a ingestão de gorduras ômega 3 de origem animal – Eu não posso enfatizar suficientemente  a importância de se providenciar quantidades suficientes de gorduras ômega 3 de origem animal de alta qualidade na dieta do seu filho.
    Embora eu acredite fortemente que todos nós precisemos de gorduras ômega-3 de origem vegetal, a diferença é que a maioria das pessoas não possui o mecanismo metabólico para converter rapidamente o ALA dessas plantas nas gorduras de ordem superior DHA e EPA, que são anti-inflamatórios potentes.

    Embora eu ainda recomende o óleo de peixe em alguns casos, eu acredito que o óleo de krill é uma fonte ainda melhor de gorduras ômega 3  para a maioria das pessoas.
  • Reduza a ingestão de gorduras ômega 6 do seu filho – Além de adicionar gorduras ômega 3 à dieta do seu filho, você também deve reduzir a quantidade de gorduras ômega 6  que ele consome porque a relação entre essas duas gorduras é muito importante.
    Muitos não percebem que cerca de um século atrás, as pessoas só consumiam 1-2 quilos de gorduras vegetais baseadas em ômega 6 por ano. Hoje, a média de consumo é de cerca de 75-80 libras (34-36 kg) por ano desses óleos vegetais, como o óleo de milho, soja e óleo de açafrão.
  • Considere a hipótese da higiene – Há uma tendência em nossa cultura moderna de ser obsessivo em relação à limpeza, especialmente em crianças. No entanto, isso pode não ser tão saudável como se pensava inicialmente. Parece que estar exposto a infecções bacterianas e virais comuns na infância pode ser importante para fornecer o estímulo ao seu sistema imunológico para que ele evite naturalmente a asma.
  • Exercite-se regularmente – Exercitar-se (especialmente em ambientes abertos com ar fresco se você for asmático) é realmente crucial, pois ajuda a moderar os níveis de insulina. Isso aumenta a sensibilidade do seu receptor de insulina e, como resultado, seu corpo produz menos insulina, o que tende a otimizá-lo.
Você também pode usar testes de alergia para desenvolver o sistema imunológico do seu filho. No entanto, minha experiência é de que os testes convencionais não funcionam muito eficazmente e há uma quantidade razoável de risco. Um teste muito melhor seria o teste de provocação-neutralização, que é um teste cutâneo intradérmico.
Quanto aos remédios naturais, você pode tentar a Petasites (Petasites hybridus). Este arbusto perene tem sido usado desde os tempos antigos para tratar uma variedade de doenças. Já no século XVII, a petasites foi usada para tratar tosse, asma e feridas na pele.
Desde então, os pesquisadores identificaram os compostos na petasites que ajudam a reduzir sintomas da asma inibindo leucotrienos e histamínicos, que são responsáveis pelo agravamento dos sintomas da asma.
Lembre-se também que os produtos lácteos pasteurizados são notórios por tornar a asma pior.

Conclusão

Como se vê, a deficiência de vitamina D é a origem de inúmeras doenças e problemas de saúde, e a cura não poderia ser mais segura ou simples!
Se você seguir estas estratégias simples discutidas acima, você pode praticamente eliminar sua necessidade de tomar remédios com broncodilatadores e esteroides, por exemplo, e ESSE é um exemplo perfeito de tomar o controle da sua saúde e da saúde de sua família!

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/02/08/controlando-a-asma-do-seu-filho-com-remedio-natural.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=2082017_controlando-a-asma-do-seu-filho-com-remedio-natural